Geral

Investigação aponta que selfie pode ter causado queda de avião nos EUA

Da Redação ·
Foto de 31 de maio de 2014 mostra o avião que caiu perto de Denver, nos EUA, matando o piloto e o passageiro (Foto: Adams County Sheriff's Department, Sgt. Aaron Pataluna/AP)
Foto de 31 de maio de 2014 mostra o avião que caiu perto de Denver, nos EUA, matando o piloto e o passageiro (Foto: Adams County Sheriff's Department, Sgt. Aaron Pataluna/AP)

Uma investigação feita por autoridades federais dos Estados Unidos determinou que o piloto de um pequeno avião que caiu no ano passado perto de Denver perdeu o controle da aeronave enquanto fazia selfies, o que provavelmente foi a causa da queda, segundo o jornal "USA Today".

continua após publicidade

O piloto Amritpal Singh, de 29 anos, e seu passageiro morreram na queda. O avião caiu em uma plantação de trigo na madrugada do dia 31 de maio. O acidente só foi descoberto mais de sete horas depois. Uma câmera GoPro que estava instalada no vidro da frente da aeronave registrou o piloto e diversos outros passageiros fazendo selfies com seus celulares durante diversos voos antes da queda, informou a Diretoria Nacional de Segurança em Transportes (NTSB, na sigla em inglês). A câmera não registrou o voo no qual ocorreu a queda, mas os investigadores determinaram que o piloto tinha um padrão de fazer selfies e enviar mensagens de texto durante os voos.

“É provável que o uso de celular durante o voo distraiu o piloto e contribuiu para o desenvolvimento de uma desorientação espacial e a subsequente perda de controle”, disse o órgão. Leis federais proíbem pilotos comerciais e a tripulação de usar celulares ou outros equipamentos eletrônicos pessoais durante o pouso, a decolagem e enquanto estão trabalhando em voo. Entretanto, as regras são diferentes para pilotos em aviões privados. Eles não devem agir de maneira arriscada, mas as regras não banem especificamente o uso de celulares. Muitos pilotos usam seus celulares ou tablets no lugar dos tradicionais papeis ou sistemas de navegação. As evidências do caso sugerem que Singh ficou distraído, desorientado, perdeu o controle do avião e caiu, segundo o NTSB. Ele não tinha certificação para voar a noite por instrumentos nem para transportar passageiros durante a noite.