Geral

Dissidente cubano acaba com greve de fome depois de 135 dias

Da Redação ·
 O dissidente cubano Guillermo Fariñas anuncia a interrupção de sua greve
fonte: Desmond Boylan/05.03.2010/Reuters
O dissidente cubano Guillermo Fariñas anuncia a interrupção de sua greve

O dissidente cubano Guillermo Fariñas desistiu nesta quinta-feira (8) da greve de fome que iniciou há 135 dias para pedir a libertação de presos políticos doentes.

continua após publicidade

A decisão foi tomada depois que o governo anunciou a libertação de 52 presos políticos nesta quarta-feira (8), informou a líder da oposição Gisela Delgado, que o visitou no hospital onde Fariñas estava na cidade de Santa Clara.

continua após publicidade

- Fariñas pôs um ponto final à greve de fome e sede, a partir deste momento.

continua após publicidade

Fariñas está na unidade de terapia intensiva desde que no dia 11 de março e sofreu um choque hipoglicêmico, tendo iniciado o jejum no dia 24 de fevereiro, logo depois da morte do preso político Orlando Zapata, depois de 85 dias de greve de fome.

Em entrevista ao R7, a blogueira cubana e amiga de Fariñas, Yoani Sánchez, afirmou que o estado do dissidente é muito grave.

continua após publicidade

- Mesmo com expectativas mais otimistas, a possibilidade dele se recuperar ainda é uma interrogação.

Fariñas se recusava a encerrar a greve de fome enquanto não houvesse a libertação de 26 presos políticos doentes. Yoani disse na quarta-feira (7) que mesmo se o cubano voltasse a comer naquele momento, ele ainda correria sérios riscos de morrer.