Geral

​Boate Kiss: festa polêmica tem críticas e público reduzido

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia ​Boate Kiss: festa polêmica tem críticas e público reduzido
​Boate Kiss: festa polêmica tem críticas e público reduzido

Uma festa em Santa Maria marcada para o dia 27 de janeiro, exatos dois anos do incêndio na boate Kiss, que vitimou 242 pessoas, causou polêmica na cidade desde seu anúncio.

continua após publicidade

Promovida em parceria pelo Muzeo Pub e pela associação Ah Muleke, fundada pelos pais de Vinícius Rosado, morto na tragédia de dois anos atrás, e por sua irmã, Jéssica, que também estava na boate na noite do sinistro mas conseguiu sair com vida, a festa foi iniciada após a meia-noite, portanto no dia 28, para desvincular os dois acontecimentos. 

"A polêmica ocorreu porque a imprensa usou erroneamente o termo 'homenagem', nunca pensamos em fazer uma festa em homenagem às vítimas", garante Jéssica Rosado, de 26 anos. Ogier Rosado, pai de Jéssica e de Vinícius, é mais enfático: "cada um homenageia seus filhos da maneira que quiser", desabafou, justo no momento que um carro que passava em frente ao pub parou e seu motorista abriu o vidro para criticar, irônico: "Que baita dia para fazer uma festa hein!"

continua após publicidade

O pai de Vinícius nem se dignou a responder. "Santa Maria é uma cidade jovem, tem 30 mil jovens morando aqui, eles tem que se divertir", avaliou. "E eu tenho que palmilhar entre um filho que perdi e uma filha que sobreviveu e precisa continuar sua vida", concluiu.

Confira matéria completa AQUI - Foto: Wagner Machado / Terra