Geral

População deve ficar atenta contra ataques de animais venenosos

Da Redação ·
População deve ficar atenta contra ataques de animais venenosos - Foto: Foto: pt.wikipedia.org
População deve ficar atenta contra ataques de animais venenosos - Foto: Foto: pt.wikipedia.org

Nessa época do ano é muito comum a maior incidência de animais peçonhentos em todas as regiões do Paraná. Para evitar acidentes, os serviços de saúde trabalham na sensibilização da população para os procedimentos de prevenção a picadas de aranha-marrom, escorpiões e serpentes, queimaduras por água-viva, entre outros.O objetivo é diminuir ano a ano o número de ocorrências dessa natureza, que em 2014, até o dia 13 de outubro, foram 7.416 casos no Paraná.

Em 2012 e 2013 foram registrados 9.326 e 10.953, respectivamente. Diante disso, manter a população atenta e bem informada sobre o assunto contribui para a redução dessa estatística.Segundo a chefe da divisão de zoonoses e intoxicações da Secretaria estadual da Saúde, Tânia Portella Costa, o que também contribuiu para a diminuição das ocorrências com animais peçonhentos é a divulgação das informações de prevenção nos meios de comunicação.

“O fato dos meios de comunicação estarem mais presentes no cotidiano das pessoas auxilia no repasse das informações de prevenção e procedimentos em caso de acidentes”, afirmou.Outro fator destacado pela coordenadora para a melhoria da prevenção desses acidentes é a capacitação profissional. “Promovemos constantemente treinamentos práticos e teóricos para a capacitação de profissionais de saúde de todo Estado. Além disso, contamos com o Sistema de Notificação de Animais Peçonhentos, uma ferramenta a mais para facilitar o fluxo e o registro de exemplares dos animais”, explica Tânia. 

EXPOSIÇÃO – Neste ano, durante a Operação Verão, no litoral do Paraná, o Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos (CPPI), vinculado à Secretaria estadual da Saúde, promove uma exposição de animais peçonhentos (cobras/serpentes, aranhas e escorpiões) ao lado dos hospitais de campanha instalados em Guaratuba e Caiobá.

A exposição conta com exemplos de espécies de várias regiões do Paraná.Nessa mostra também são repassadas informações dos principais procedimentos de prevenção, como por exemplo o uso de equipamentos de segurança adequados (botas e luvas de couro) em ambientes propícios à ocorrência destes animais, não colocar as mãos em buracos no solo, árvores ou folhagens; verificar calçados, roupas pessoais, de cama e banho antes de usá-los, bem como vedar frestas e buracos nas paredes e assoalhos que permitam a entrada de animais peçonhentos no ambiente doméstico. 

Os técnicos do CPPI orientam também que é importante manter a casa e o quintal limpos, livres de entulhos e lixo, além de redobrar os cuidados e atenção nas épocas quentes, pois é quando esses animais são mais ativos e se reproduzem. A exposição vai até o final do Carnaval, sempre de quinta-feira a domingo, das 9h às 17h, nos calçadões de Caiobá e Guaratuba.

continua após publicidade