Geral

Motoristas não cumprem acordo de frota mínima e greve dos ônibus continua

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Motoristas não cumprem acordo de frota mínima e greve dos ônibus continua
Motoristas não cumprem acordo de frota mínima e greve dos ônibus continua

Os motoristas e cobradores não cumpriram o acordo fechado na noite desta segunda-feira (26) no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) que determinou frota mínima de 70% dos ônibus circulando em horários de pico (entre 5h e 9h e entre 17h e 21h) e 50% em horários normais a partir das 0h desta terça (27) – sob pena de multa em caso de descumprimento. Assim, nenhum ônibus circula na capital no início desta manhã.

Na região metropolitana, alguns veículos chegaram a começar a circular em São José dos Pinhais, mas pararam em seguida em razão dos piquetes de trabalhadores. Os motoristas e cobradores ouvidos pela reportagem Banda B na porta das garagens dizem que, mesmo o sindicato da categoria tendo fechado o acordo no TRT, ninguém vai trabalhar até os atrasados serem pagos. “O sindicato pode ter sido fechado, mas a gente não vai trabalhar até receber o vale. E tem gente que nem o salário de janeiro recebeu”, disse um dos motoristas ouvidos pela Banda B, que preferiu não se identificar.

continua após publicidade

Com isso, o transporte de Curitiba e região entra no segundo dia de greve e cerca de 2,2 milhões de usuários permanecem sem transporte. Ontem, governo do estado (por meio da Coordenação da Região Metropolitana – Comec), as empresas e a Urbanização de Curitiba (Urbs) se comprometeram quitar o valor do ‘vale’, o adiantamento salarial dos motoristas e cobradores, até as 14h30 desta terça, mas os trabalhadores disseram que preferem esperar o pagamento para trabalhar.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores fechou o acordo que, porém,  não foi cumprido pela categoria hoje. Grande parte das empresas pagou menos do que os 40% esperado por motoristas e cobradores na última quarta-feira (21). A determinação de frota mínima, com multa de R$ 300 mil por dia em caso de não cumprimento, foi reafirmada na noite desta segunda pelo desembargador Luiz Eduardo Gunther, do Tribunal Regional do Trabalho.

buAgora pela manhã, ninguém foi Sindimoc foi localizado pela reportagem para comentar o descumprimento da decisão judicial. Registros da Urbs apontam que em algumas garagens os grevistas bloquearam a saída com ônibus estacionados em frente à porta e em vários casos com pneus murchos ou com chave de ignição quebrada. Como a frota determinada pela Justiça não entrou em operação, a Urbs reabriu às 6h30 o cadastramento. Uma nova audiência de conciliação vai acontecer às 14h30, em que o URBS e Comec devem trazer uma nova proposta para os recorrentes atrasos na salário e também o fim da assistência de saúde para motoristas e cobradores.

Autoria/Fonte: Denise Mello, Bruno Henrique e Danaê Bubalo - bandab.com.br