Geral

‘Frota mínima’ não é cumprida e Curitiba amanhece sem ônibus

Da Redação ·
Greve continua, com 70% dos ônibus circulando em Curitiba - Foto: Banda B
Greve continua, com 70% dos ônibus circulando em Curitiba - Foto: Banda B

 A decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), de que os trabalhadores garantissem frota mínima de ônibus do transporte coletivo circulando nesta segunda-feira (26), não foi cumprida e Curitiba amanheceu sem um ônibus sequer hoje. A greve geral dos trabalhadores se confirmou e até às 6 horas, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) não havia cumprido a determinação judicial. A alegação é que não houve notificação oficial. O motivo da greve é o atraso do pagamento da maioria dos funcionários. O adiantamento de 40% dos salários devidos a motoristas e cobradores, que normalmente é pago no dia 20 de cada mês, não foi feito.

A reportagem Banda B roda os pontos de ônibus da capital e região metropolitana desde a madrugada e a indignação é total. “Até quando vai ficar essa briga entre governo e prefeitura? Nós precisamos de ônibus e os motoristas estão certos de não trabalhar sem receber. Eles lá em cima é que que têm que se entender”, afirmou o ajudante de serviços gerais João Vieira, que esperava um ônibus em Piraquara.

A decisão do desembargador Benedito Xavier da Silva, anunciada na noite de sábado (24), determina que o Sindimoc “assegure a manutenção de percentuais mínimos de 70% da frota de veículos circulando nos horários de pico (entre 5h e 9h e entre 17h e 20h) e no patamar de 50% nos demais horários”. O desembargador determina ainda que os veículos devem estar circulando com motoristas e cobradores. Os mesmos percentuais devem ser respeitados com cobradores nas estações-tubo. A multa no caso de descumprimento é de R$ 50 mil, revertidos ao Fundo de Amparo ao Trabalho.

Duas empresas - De acordo com a prefeitura de Curitiba, apenas duas empresas metropolitanas – Araucária Metropolitana e Reunidas – mantiveram atendimento no primeiro horário da manhã. A Araucária faz a ligação do município com Curitiba e a Reunidas que faz a ligação com Quitandinha e Areia Branca manteve a operação até Fazenda Rio Grande. Um único ônibus de Araucária, que teria tentando rodar em Curitiba, teve seus pneus esvaziados em um piquete e foi impedido de circular na capital. Motoristas e cobradores se concentram em frente às garagens e impedem a saída dos veículos. O ônibus Executivo Aeroporto não está funcionando.

Os ônibus desta linha, operada pela empresa São José Metropolitana, também não saíram da garagem, bloqueada por grevistas. Em nota, a prefeitura informou que equipes de fiscalização e operação do transporte estão mobilizadas desde a madrugada em terminais, estações tubo e no Centro de Controle Operacional. Cadastramento ÀS 6h15, a Urbs começou o cadastramento de todo tipo de veículo para o transporte alternativo. Cada veículo cadastrado pode cobrar até R$ 6,00 por passageiro e rodar pelas canaletas.

O atendimento é feito na área de Inspeção e Cadastro que fica na bloco ferroviário, na parte interna da Rodoferroviária. Os motoristas interessados devem apresentar documentos pessoais e do veículo que, após uma rápida vistoria recebe um pequeno cartaz com a identificação de veículo autorizado pela Urbs a fazer transporte de passageiros.

Taxistas também podem se cadastrar mas, nesse caso, não podem ligar o taxímetro, limitando-se a cobrar o mesmo valor, de R$ 6,00 por pesssoa. Denúncias e sugestões devem ser feitas pela central 156. Além disso, a Prefeitura de Curitiba anunciou que vai colocar 200 carros oficiais à disposição da Urbs para fazer o transporte.


Informações da Rádio Banda B

continua após publicidade