Geral

Obama condena 'assassinato brutal' pelo Estado Islâmico

Da Redação ·
Obama condena 'assassinato brutal'
Obama condena 'assassinato brutal'

O presidente americano, Barack Obama, condenou neste sábado (24) o assassinato de um refém japonês pelo grupo Estado Islâmico (EI), embora a execução não tenha sido confirmada oficialmente pelo governo do Japão.

continua após publicidade

"Os Estados Unidos condenam firmemente o assassinato brutal do cidadão japonês Haruna Yukawa por esse grupo terrorista", assinala Obama em um comunicado, referindo-se à organização jihadista. Tóquio informou que analisa um vídeo divulgado na internet que anuncia a execução de Haruna Yukawa, que juntamente com Kenji Goto, eram os dois reféns japoneses que o EI ameaçava matar. "Renovamos nosso chamado para que seja libertado imediatamente Kenji Goto e todos os outros reféns", diz o comunicado da Casa Branca, acrescentando que os Estados Unidos continuarão trabalhando com o aliado Japão, e elogiando o esforço daquele país para a pacificação e o desenvolvimento do Oriente Médio. "Continuaremos trabalhando juntos para transformar essas mortes em justiça", acrescenta o texto, referindo-se aos reféns executados pelo Estado Islâmico. Novo vídeoO novo vídeo divulgado pelo Estado Islâmico neste sábado mostra mostra um dos reféns, Kenji Goto, afirmando que seu companheiro de cativeiro, Haruna Yukawa, foi executado e estipulando uma nova condição para libertar o segundo refém com vida. A informação sobre o conteúdo do vídeo foi divulgada pela organização SITE Intelligence Group, grupo de monitoramento do terrorismo que funciona nos EUA. 

Segundo o SITE, o vídeo foi divulgado por contas no Twitter pertencentes ao Estado Islâmico e tem 2 minutos e 52 segundos. Nele, Goto segura uma foto do colega decapitado e afirma que a organização terrorista agora pede a libertação de Sajida al-Rishawi, uma mulher-bomba enviada pela al-Qaeda no Iraque para atacar um hotel na Jordânia em 2005. Falando em inglês, Goto também culpa o governo japonês pela morte de Yukawa e diz à mulher e à família para não desistirem dele. Ele afirma, segundo o SITE: “É simples. Vocês dão Sajida a eles e eu serei libertado.”