Geral

Governo entrega nova caldeira para o Hospital Evangélico de Londrina

Da Redação ·

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, participou na manhã desta quinta-feira (11) da inauguração da nova caldeira de vapor do Hospital Evangélico de Londrina. Com um investimento de R$ 1 milhão em recursos do Governo do Estado, a estrutura é essencial para o funcionamento dos serviços de lavanderia, limpeza, cozinha e esterilização de materiais da unidade. 

continua após publicidade

O Hospital Evangélico de Londrina é uma entidade filantrópica, que atualmente oferece 60% de seus serviços ao SUS. São 249 leitos gerais, 40 de UTI adulto e 10 de UTI neonatal, o que fez com que o hospital fosse escolhido como referência da Rede Mãe Paranaense na região. 

Segundo o secretário Caputo Neto, o apoio ao fortalecimento de hospitais filantrópicos vinculados ao SUS é uma das estratégias do Governo do Paraná para qualificar o atendimento ofertado à população. 

continua após publicidade

“Sabemos da importância do Hospital Evangélico para a rede pública de saúde do Norte do Estado e por isso seremos sempre parceiros da instituição. Desde 2011, temos garantido recursos para custeio, capacitação profissional e investimentos em obras e equipamentos”, destacou. 

SEGURANÇA - Além da aquisição da caldeira, foi necessário construir um novo abrigo para o equipamento, atendendo às recomendações do Corpo de Bombeiros. Antigamente, o espaço ficava muito próximo ao prédio do hospital, oferecendo risco aos pacientes e funcionários. 

O antigo equipamento foi instalado há 35 anos e estava no limite de sua vida útil. Ele também operava abaixo da capacidade máxima e já não era capaz de atender as necessidades do hospital. 

continua após publicidade

De acordo com o diretor-geral da unidade, Luiz Koury, este é mais um passo importante para o projeto de ampliação da estrutura de atendimento do hospital. “A nova caldeira tem o dobro de capacidade da antiga e ainda utiliza duas matrizes enérgicas, tornando o equipamento mais econômico e menos poluente”, disse. 

O complexo da caldeira tem ainda uma cisterna subterrânea para o reaproveitamento da água da chuva. O sistema de captação ainda está sendo instalado, mas reduzirá os gastos do hospital com abastecimento de água para a área de lavanderia e limpeza.