Geral

Polícias do Paraná apreendem 68,7 toneladas de drogas

Da Redação ·

As polícias do Paraná tiraram de circulação mais de 68,7 toneladas de drogas, de janeiro a setembro deste ano. Foram 66,2 toneladas de maconha, cerca de 1,2 tonelada de cocaína e 1,3 tonelada de crack, além de 98.135 comprimidos de ecstasy e 3.660 micropontos de LSD. 

continua após publicidade

A maior quantidade de droga apreendida foi nos municípios da faixa de fronteira do Paraná. Juntas, as Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisps) cujas sedes são Cascavel, Foz do Iguaçu e Toledo (e que abrangem diversos municípios próximos) contabilizaram mais de 36,7 toneladas apenas de maconha. 

NOROESTE - Outra grande apreensão da droga ocorreu no mês de junho, no município de Iguaraçu (noroeste do Estado), quando policiais civis do Núcleo Londrina da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) apreenderam duas toneladas de maconha, após meses de investigação. Oito traficantes foram presos depois que a equipe policial interceptou o transporte da droga, que vinha do Mato Grosso do Sul com destino a Apucarana, onde seria armazenada e depois distribuída em todo o norte do Paraná. 

continua após publicidade

Na somatória dos nove primeiros meses do ano, as cidades que integram a 17ª Aisp (sede e Maringá, Noroeste) registraram a maior quantidade de cocaína (255 quilos) e de crack (269 quilos) tirados de circulação. 

OCORRÊNCIAS - “No combate ao narcotráfico, estamos coibindo outros crimes vinculados, como homicídios, furtos e roubos”, afirma o secretário da Segurança Pública, Leon Grupenmacher. Para isso, as ações da secretaria têm sido intensificadas. 

De janeiro a setembro, as ocorrências envolvendo tráfico de drogas aumentaram 15,8% no Paraná, comparado com o mesmo período do ano anterior, enquanto os registros policiais envolvendo uso/consumo de drogas apresentaram acréscimo de 16,1%, o que demonstra o crescimento da atuação policial nessas modalidades de crimes. 

continua após publicidade

Levantamento da Secretaria da Segurança Pública também aponta que, do total de autores identificados com envolvimento com o tráfico de drogas, cerca de 85% são homens e 15% mulheres. 

COMBATE - Por meio de uma parceria, a Polícia Militar mantém a Força-tarefa de Combate ao Crime Organizado, em conjunto com a Polícia Federal. Partindo de denúncias anônimas da população, que contribui nas investigações, casos de narcotráfico são combatidos e traficantes são presos. O combate ao tráfico também é um dos principais focos do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), que tem atingido excelentes resultados e aprovação popular na região fronteiriça do Estado. 

Já na Polícia Civil, a Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) foi fortalecida e tem atuado de forma vigorosa contra o pequeno, o médio e o grande traficante. Cada núcleo da Denarc, nas mais diversas regiões do Estado, trabalha para se especializar de acordo com as características próprias da região. A unidade também conta com cães farejadores, que auxiliam em operações específicas. 

continua após publicidade

Quem tiver informações sobre o tráfico de drogas pode contribuir com o trabalho das polícias por meio do telefone 181-Narcodenúncia ou, ainda, pelo site (www.181.pr.gov.br), clicando na aba “Faça sua denúncia”. O atendimento é realizado 24 horas por dia e a identidade da pessoa que faz a denúncia é mantida em sigilo. 

NOVO RELATÓRIO – Relatório estatístico criminal da Secretaria da Segurança Pública, com o quantitativo de drogas apreendidas no Estado do Paraná, pelas polícias Civil e Militar já está disponível. 

O documento traz informações detalhadas dos 399 municípios e por tipo de droga (maconha, cocaína, crack, ecstasy e LSD). A produção é da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape), responsável pela análise criminal da Segurança Pública do Paraná. As informações tabuladas dizem respeito a 100% dos Boletins de Ocorrências Unificados (BOUs) lavrados. 

Detalhes do relatório podem ser conferidos no site da Secretaria da Segurança Pública (www.seguranca.pr.gov.br), clicando no menu ao lado esquerdo da tela, na aba “Gestão da Segurança” e, na sequência, em “Estatísticas”.