Geral

Imigrantes se cadastram para receber Bolsa Família em São Paulo

Da Redação ·
Foto: arquivo
Foto: arquivo

SÃO PAULO, SP - A Prefeitura de São Paulo realizou nesta segunda-feira (8) cadastro de ao menos 65 imigrantes no Crai (Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes), na Bela Vista, na região central da capital paulista. 

continua após publicidade

Os imigrantes se registraram no CadÚnico (cadastro único para programas sociais do governo) para receber recursos do programas Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida. 

Nem todos que compareceram ao mutirão estão regularizados ou aptos a receber o benefício dos programas. Quem não tem CPF, necessário para realizar o cadastro, é redirecionado para outro atendimento, que ajuda a conseguir o documento. Segundo a Prefeitura de São Paulo, a capital paulista tem cerca de 400 mil imigrantes regularizados. A gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) não sabe, no entanto, quantos deles estão aptos a receber o benefício. 

continua após publicidade

Um dos imigrantes refugiado do Congo, que não quis se identificar, afirmou que se cadastrou porque está interessado no benefício do Bolsa Família. O imigrante, que é técnico de montagem no Brasil, tem sete filhos em seu país de origem. 

Os atendentes do Crai não souberam informar se o caso desse refugiado se encaixa nos requisitos do Bolsa Família, já que o programa exige comprovação de que os filhos da pessoa estejam na escola. 

Já Margoth Ibanez, 37, boliviana que está no Brasil há 20 anos, tem três filhos que frequentam a escola no Brasil. Ela trabalha como atendente do Crai e também se cadastrou no mutirão --no seu caso, para ser beneficiária do programa Minha Casa, Minha Vida. 

continua após publicidade

Os programas Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida são abertos para imigrantes, desde que eles estejam regularizados. No caso do Bolsa Família, também são exigidos renda familiar menor que R$ 154, manter filhos em idade escolar estudando e respeitar o calendário de vacinação. Com isso, os imigrantes que vivem em situação de pobreza extrema poderão receber os R$ 77 mensais oferecidos pelo programa do governo federal. 

Segundo Cleyton Borges, coordenador do Crai, a prefeitura está realizando o mutirão para informar que os imigrantes têm direito aos programas sociais e aos outros atendimentos realizados pelo centro, como assistência social, jurídica e psicológica. 

A ação é parte do 2º Festival de Direitos Humanos, que ocorre de 8 a 14 de dezembro em diversos pontos da cidade. Além do Crai, também é possível se cadastrar a qualquer momento em postos do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social).