Geral

Vestibular Indígena do Paraná tem mais de 500 inscritos

Da Redação ·
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Comissão Universidade para Índios (Cuia) registrou 505 inscritos no Vestibular dos Povos Indígenas do Paraná 2015. Dos 41 cursos oferecidos, o que teve maior número de interessados foi o de Pedagogia (109). Em segundo lugar está o curso de Educação Física (62), seguido de Medicina (34). São candidatos de 24 terras indígenas localizadas em cidades paranaenses, além de pessoas que vivem em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Pernambuco. 

Em 2014 o vestibular é organizado pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), instituição com o maior número de inscritos – 115. A Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste) teve 79 inscrições, seguida da Universidade Estadual de Maringá (UEM) com 76; Universidade Federal do Paraná (UFPR), com 64 inscritos; Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), com 62; Universidade Estadual de Londrina (UEL), com 59; Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com 41 inscritos, e Universidade Estadual do Paraná (Unespar), com sete inscrições. São 248 mulheres e 257 homens e, destes, 52 candidatos são de outros estados. 

Este é o 14º Vestibular dos Povos Indígenas. A coordenadora da Cuia na Unicentro e do concurso 2015, Déa Maria Ferreira, explica que muitos avanços já ocorreram nas aldeias desde o primeiro vestibular realizado em Guarapuava em 2002, que teve 54 inscritos. “Tivemos muita mudança. A autoestima deles melhorou muito, eles estão mais entusiasmados. No começo nossos alunos indígenas me perguntavam se voltariam para as aldeias depois de formados e eu respondia que só o tempo diria. Hoje é uma realidade. A maioria vai trabalhar na terra indígena, o que contribui muito com o progresso das aldeias. A raiz na terra indígena é muito forte”, destacou. 

Para participar do vestibular indígena nas universidades estaduais, além de se autodeclarar índio, o candidato também precisa de uma carta de apresentação assinada pelo cacique. Aqueles que não apresentaram o documento no ato da inscrição poderão entrar com recurso até 21 de novembro. 

A cada ano o concurso é realizado por uma das oito universidades. São disponibilizadas 42 vagas nas universidades estaduais do Paraná e 10 vagas para a UFPR. As vagas são exclusivamente para os integrantes das Sociedades Indígenas no Brasil. 

PROVAS – As provas serão realizadas em 18 e 19 de dezembro, das 8h às 12h e das 14h às 18h, no Centro Politécnico (Cedeteg), em Guarapuava. Serão aplicadas uma prova de redação e outra prova objetiva composta por 40 questões, incluindo Língua Portuguesa (Interpretação de textos), Língua Estrangeira Moderna ou Língua Indígena, Biologia, Física, Geografia, História, Matemática e Química. 

Haverá ainda outra forma de avaliação para identificar a capacidade do aluno de dialogar sobre determinados temas. Os principais critérios dessa avaliação serão a capacidade do candidato de comentar os temas propostos no texto da prova de maneira coerente e a capacidade argumentativa e opinativa em relação ao texto lido. 

A Comissão Universidade para Índios (Cuia), formada por um representante de cada universidade envolvida nesse processo, é a responsável pela organização do vestibular. 

continua após publicidade