Geral

Governo oferecerá vacina contra coqueluche para gestantes

Da Redação ·
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

BRASÍLIA, DF - A partir deste mês, o Ministério da Saúde introduziu a vacina contra coqueluche para as gestantes nos 35 mil postos de saúde da rede pública.

continua após publicidade

A inclusão da vacina dTpa (difteria, tétano e coqueluche acelular) foi definida em setembro do ano passado, com o objetivo de imunizar indiretamente os bebês. Até dezembro, a intenção é vacinar 484,1 mil gestantes.

Até então, a grávida tomava três doses da vacina contra difteria e tétano. Agora, ela deve tomar duas doses dessa vacina e a terceira passa a ser a dTpa. Profissionais de saúde que atuam em maternidades e UTIs neonatais também receberão a vacina.

continua após publicidade

Para o ministério, crianças pequenas são as mais vulneráveis por ainda não terem completado o esquema básico de vacinação, com as três primeiras doses. Nas crianças, a primeira dose da vacina acontece aos dois meses de idade; a segunda aos quatro meses e a terceira aos seis meses. Posteriormente são dados dois reforços: aos 15 meses e um aos quatro anos de idade.

Por isso, vacinar as mães pode evitar um canal de transmissão ao bebê e ampliar a imunidade da criança.

Entre 2007 e 2013, 87,2% dos casos de coqueluche ocorreram em menores de seis meses. No ano passado, foram 110 óbitos em decorrência da doença. "É uma comprovação da efetividade da vacina: depois que ela está completa, reduz muito a possibilidade de a criança ter coqueluche", disse nesta segunda-feira (17) Jarbas Barbosa, secretário de vigilância em saúde.

continua após publicidade

A vacinação das gestantes já acontece em diversos países, como Estados Unidos, Alemanha e França.

"Com essa medida, a gente espera estar diminuindo no próximo ano a ocorrência desses casos em menores de 6 meses de idade. Isso não dá proteçãopermanente ou prolongada [à criança]. É importante a mãe saber que vai transferir anticorpos para o bebê, mas não há alteração do esquema de vacinação da criança", destacou Barbosa.


CALENDÁRIO

continua após publicidade

A indicação é que a gestante seja vacinada a partir da 27ª até a 36ª semana de gravidez, podendo ser administrada até 20 dias antes da data provável do parto. "Se tomar a vacina na véspera ou no dia do parto, não dá tempo de a mãe produzir anticorpos", acrescentou o secretário. Mulheres grávidas devem tomar uma dose da dTpa em cada gestação.

Em 2015, o público-alvo são 2,9 milhões de gestantes, além dos profissionais de UTIs neonatais e maternidades. Foram adquiridas 4 milhões de doses, com um custo de R$ 87,2 milhões. "São recursos extremamente importantes para que a gente possa participar desse esforço de controle da coqueluche e do impacto que tem sobre os bebês", disse o ministro Arthur Chioro (Saúde).

"É por conta do aumento de casos nos últimos quatro anos, em todo o mundo, que vamos ter mais uma estratégia de proteção contra coqueluche para os nossos bebês", disse.