Geral

Com data antecipada, Parada Gay vai pedir criminalização da homofobia

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Com data antecipada, Parada Gay vai pedir criminalização da homofobia
fonte: Foto: arquivo
Com data antecipada, Parada Gay vai pedir criminalização da homofobia

SÃO PAULO, SP, 10 de abril (Folhapress) - A APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT) divulgou hoje o tema da 18ª edição da Parada Gay, que acontecerá em 4 de maio, em São Paulo.

O evento, que costuma acontecer tradicionalmente em junho, foi antecipado por causa da Copa. "Fizemos a mudança pensando nas pessoas que vêm de fora, porque as tarifas aéreas e de hotéis ficarão muito mais altas na época da Copa", disse Fernando Quaresma, presidente da associação.

O tema da Parada Gay deste ano será "País vencedor é país sem homolesbotransfobia: Chega de mortes! Criminalização já!". Segundo organizadores, é um protesto contra a violência homofóbica e pede agilidade na tramitação do projeto de lei 122/2006, que criminaliza a homofobia.

"O Senado enterrou o PLC 122, que foi tirado da pauta de votação sem explicações aceitáveis", disse Quaresma, durante entrevista coletiva na tarde de hoje.

Segurança

A prefeitura informou que 23 câmeras da CET farão a segurança na área do trajeto dos 20 trios elétricos que sairão da avenida Paulista até a igreja da Consolação.

Uma sala de monitoramento será alugada em um prédio nas imediações do evento. A prefeitura não revelou o local exato por questões de segurança.

A sala de monitoramento é novidade este ano. Em 2013, apenas duas bases móveis da PM --uma em frente ao parque Trianon e outra no recuo do cemitério da Consolação-- cuidaram do monitoramento. As bases também serão utilizadas este ano.

Além disso, cerca de 4.000 homens da PM e GCM (Guarda Civil Metropolitana) atuarão no evento.

Investimentos

Cerca de R$ 3 milhões são investidos na Parada Gay deste ano --R$ 2 milhões saem dos cofres da prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, segundo Phamela Godoy, coordenadora adjunta de políticas LGBT.

O resto do dinheiro vem dos patrocinadores, entre eles Petrobras, Caixa Econômica Federal, governos estadual e federal e Netflix, que estreia este ano como patrocinadora.

Os cantores Wanessa Camargo e Pedro Lima farão o show de encerramento na noite do dia 4, na praça da República.

continua após publicidade