Geral

Polícia gasta R$ 6 milhões em armas que não funcionam

Da Redação ·
  Secretaria de Segurança devolveu 1.550 carabinas cujas balas não disparam
fonte: googleimagens.com
Secretaria de Segurança devolveu 1.550 carabinas cujas balas não disparam

A SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Rio de Janeiro investiu R$ 6 milhões na compra de 1.550 carabinas calibre ponto 30 em novembro do ano passado. As armas seriam usadas pela Polícia Militar. Passados sete meses, o arsenal foi devolvido no último dia 21 ao fabricante, que ganhou o processo de licitação, porque testes verificaram que as munições emperram e não são disparadas.

continua após publicidade

Algumas dessas carabinas, segundo a SSP, foram distribuídas para batalhões da corporação. Como foi verificado o problema em algumas das armas, todas foram recolhidas. Um laudo sobre o problema foi elaborado pela PM e entregue à pasta de segurança.

continua após publicidade

De acordo com a secretaria, a ideia era usar as carabinas em substituição a fuzis. A pasta deu um prazo de 90 dias para que a empresa devolva as armas devidamente prontas para o uso.

O plano do governo fluminense é que, até 2016, apenas as tropas de elite, como o Bope (Batalhão de Operações Especiais), usem fuzis nas ruas. O alcance de tiro dessas armas pode chegar a 2 km. Os disparos feitos por carabinas alcançam até 500 metros.