Geral

Número de mortos em queda de ônibus sobe para 16

Da Redação ·
Polícia acredita que o motorista dormiu ao volante
fonte: Nelson Antoine/22.12.2013/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Polícia acredita que o motorista dormiu ao volante

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo confirmou, na manhã de hoje, a morte da 16ª vítima do acidente com um ônibus da viação Nossa Senhora da Penha, na rodovia Régis Bittencourt, na madrugada de ontem.

O corpo da funcionária pública Valéria Santos Leite foi identificado por um dos filhos na madrugada de hoje, no IML (Instituto Médico Legal). O filho confirmou que o corpo, que por estar sem identificação não constava em nenhuma lista de óbitos, era de Valéria.

Segundo a Polícia Civil, ela estava dentro do ônibus, mas seu nome não constava na lista oficial de passageiros porque ela havia comprado a passagem em janeiro deste ano e cancelado. Ela trocou o bilhete por outro em branco que foi carimbado no dia da viagem.

Valéria é a 54ª passageira do ônibus, que saiu da pista e caiu em um barranco na rodovia Régis Bittencourt, no km 301 em São Lourenço da Serra (Grande São Paulo).

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o ônibus seguia no sentido São Paulo quando saiu da pista em uma curva, no km 301, e caiu em um barranco de cerca de 10 metros de altura. O ônibus havia saído de Curitiba na noite de sábado com destino ao Rio.

Ao todo 30 passageiros ficaram feridos e foram levados para hospitais da região. Até às 8h de hoje, quinze pessoas continuavam internadas. Uma das vítimas permanece na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Geral de Itapecerica da Serra, na região metropolitana.

O motorista do ônibus, Oseas dos Santos Gomes, 56, foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar) e lesão corporal.

Segundo o delegado Renato Gonçalves Coletes, do 1º DP de Itapecerica da Serra (Grande São Paulo), "tudo indica" que o condutor caiu no sono.

Em depoimento, ele afirmou que, quando percebeu, o ônibus já estava caindo, o que reforça a hipótese da polícia.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com ele. Procurada, a Viação Penha não informou se o motorista já tem advogado.

A administradora Kelly Cristina Guimarães, 33, mora em Curitiba, mas também compareceu à delegacia. Sua mãe, Regina Célia Guimarães, 58, morreu no acidente.

"Ela ia pela primeira vez ao Rio, para passar as festas de fim de ano com a família", diz.

Em nota, a empresa de ônibus informou que "se solidariza com os familiares e amigos das vítimas".

Histórico Violento

A Régis Bittencourt é uma das rodovias mais perigosas do Brasil, segundo um levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal. Em 2013, aconteceram 866 acidentes com 423 feridos e 36 mortos.

O trecho mais violento fica entre o km 270 e o km 280, na região de Taboão da Serra. Ali, aconteceram neste ano 268 acidentes, com 167 feridos e sete mortos.

O Estado de Santa Catarina tem a rodovia com o trecho mais violento do país. Entre o km 200 e km 210 da BR-101, houve 1.049 acidentes com 516 feridos e 13 mortes.
 

continua após publicidade