Geral

Facebook admite queda de uso entre adolescentes e faz ações caírem

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Facebook admite queda de uso entre adolescentes e faz ações caírem
fonte:
Facebook admite queda de uso entre adolescentes e faz ações caírem

SÃO PAULO, SP, 31 de outubro (Folhapress) - Após meses de especulação do público e da imprensa, o diretor financeiro do Facebook, David Ebersman, admitiu, hoje que houve uma queda no uso da rede social por adolescentes americanos. A declaração causou uma forte oscilação das ações da empresa.

"Nossa análise do engajamento de jovens americanos revela que o uso de Facebook entre os adolescentes dos EUA como um todo está estável [...] entretanto, vimos um declínio em usuários diários especificamente entre adolescentes mais jovens", disse o executivo.
 

continua após publicidade
confira também



Quando Ebersman falou, os resultados financeiros do último trimestre -muito acima das expectativas- haviam acabado de ser anunciados, e as ações operavam em alta de mais de 15%.

Assim que as informações divulgadas pelo executivo ganharam espaço na mídia, o preço dos papéis começou a cair e o efeito positivo dos resultados financeiros acabou anulado.

Em julho, o presidente executivo da empresa, Mark Zuckerberg havia afirmado que as alegações de que o número de adolescentes do Facebook estava caindo "simplesmente não eram verdadeiras".

Polêmica

A queda de uso do Facebook entre adolescentes vinha sendo especulada pela imprensa e por especialistas há vários meses, mas essa foi a primeira vez que o Facebook admitiu o problema.

Em um episódio que ganhou bastante repercussão, a adolescente americana Ruby Karp, de 13 anos, escreveu um artigo no site "Mashable" entitulado "Tenho 13 anos e nenhum dos meus amigos usa o Facebook". Nele constatava -e tentava explicar- o desânimo dos mais jovens com a rede social.

Entre outros motivos, Ruby apontou a interação com pessoas mais velhas, o excesso de anúncios e o ciberbullying como razões que levaram seus colegas a migrar para outras redes sociais, como Instagram e Snapchat.

"Decidi ter uma conta no Facebook para descobrir qual era a graça do site. Logo descobri que o Facebook é inútil se você não tem amigos lá. Meu único amigo no site é, tipo, minha avó.", disse.

Alguns dias depois, também no Mashable, a também adolescente Adora Svitak, de 15 anos, rebateu as críticas de Ruby com o artigo "Tenho 15 anos e todos os meu amigos estão no Facebook", em que defendia que todos os problemas apontados por Ruby Karp tinham soluções prontas dentro do próprio Facebook.

"Oh, se ao menos fosse possível impedir que minha mãe me adicionasse [no Facebook]. Ou se desse para colocá-la numa lista restrita", escreveu ela, em tom de deboche. "Adivinhe só... Eu posso!".