Geral

Presidente da Nigéria morre aos 58 anos

Da Redação ·
 Yar'Adua estava doente há seis meses
fonte: BBC Brasil
Yar'Adua estava doente há seis meses

Yar’Adua, de 58 anos, sofria de uma doença cardíaca e estava internado desde novembro. Sua morte foi divulgada ainda na noite de quarta-feira, mas o anúncio oficial foi feito na manhã desta quinta-feira em cadeia nacional de rádio e TV.
 

continua após publicidade

O vice-presidente Goodluck Jonathan, que vinha governando desde fevereiro, foi empossado como presidente.
 

Um porta-voz de Jonathan disse que ele recebeu a notícia com "surpresa e tristeza".
 

continua após publicidade

O corpo de Yar'Adua deve ser enterrado nesta quinta-feira, em seu Estado-natal, Katsina. Foram declarados sete dias de luto oficial no país.

Obama
 

continua após publicidade

Yar'Adua se tornou presidente em 2007, prometendo reformas no país, incluindo o combate à corrupção.
 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elogiou "a profunda decência e integridade pessoais de Yar'Adua, seu profundo comprometimento com o serviço público e sua fé apaixonada no grande potencial e no futuro dos 150 milhões de habitantes da Nigéria".
 

O líder nigeriano foi internado em novembro passado em Jeddah, na Arábia Saudita, onde acabou passando vários meses.
 

continua após publicidade

Durante este tempo, ele não fez aparições públicas. A exceção foi uma entrevista por telefone para a BBC, em janeiro, em que Yar'Adua disse que estava se recuperando e que tinha esperanças de retomar suas funções.
 

Na época, um porta-voz da Presidência disse que ele sofria de pericardite aguda, uma inflamação das camadas que envolvem o coração.
 

Yar'Adua voltou para a Nigéria em fevereiro, mas Jonathan continuou na Presidência.
 

Segundo a correspondente da BBC na cidade nigeriana de Jos, Caroline Duffield, Yar'Adua será lembrado como um homem calmo e de fala mansa, cuja integridade sempre foi respeitada.
 

No entanto, seus familiares e conselheiros políticos foram duramente criticados e acusados de usá-lo para se manter no poder.