Geral

Britânicos vão às urnas para eleições gerais

Da Redação ·
 Mais de 44 milhões de eleitores estão registrados
fonte: BBC Brasil
Mais de 44 milhões de eleitores estão registrados

Milhões de pessoas na Grã-Bretanha começaram a votar nas eleições gerais desta quinta-feira. Mais de 44 milhões de pessoas estão registradas para votar, mas o voto não é obrigatório.
 

continua após publicidade

As urnas permanecem abertas entre 7h00 e 22h00 (3h00 e 18h00, horário de Brasília).
 

A expectativa é de que os primeiros resultados sejam divulgados às 23h00 (19h00, horário de Brasília).
 

continua após publicidade

O pleito deve eleger parlamentares e representantes distritais em 164 áreas em toda a Inglaterra. No total, há quase 4.150 candidatos nestas eleições.
 

A grande maioria dos distritos vai realizar as apurações durante a noite mas vinte deles só deverão começar o processo na manhã de sexta-feira.
 

O único incidente registrado até agora foi a queda de um pequeno avião que levava um candidato ao Parlamento pelo partido UKIP (Partido Independente da Grã-Bretanha).
 

continua após publicidade

Nigel Farage, candidato pelo distrito de Buckingham, e o piloto do avião foram hospitalizados mas não correm risco de vida.
 

Um porta-voz do partido disse que recebeu notícias de que o acidente pode ter acontecido porque uma faixa de propaganda que o avião puxava enroscou em alguma parte da aeronave ou por um problema de mudança da direção do vento.
 

Sistema eleitoral
 

continua após publicidade

Esta eleição deve ser a disputa mais acirrada desde 1992. O líder do Partido Conservador, David Cameron, tenta chegar ao poder após 13 anos de governo do Partido Trabalhista.
 

O sistema eleitoral britânico favorece o bipartidarismo, com o Partido Trabalhista - do atual primeiro-ministro Gordon Brown e de seu predecessor, Tony Blair - e o Partido Conservador (que esteve no poder entre 1979 e 1997, com Margaret Thatcher e John Major) figurando como as principais agremiações.
 

continua após publicidade

O Partido Liberal Democrata aparece como a terceira força, com uma votação histórica bastante inferior à dos trabalhistas e dos conservadores. Os liberal-democratas poderão fazer a diferença, porém, no caso de um Parlamento sem maioria clara, formando possivelmente um governo de coalizão com os trabalhistas ou com os conservadores. Seu atual líder é Nick Clegg.
 

Os pequenos partidos nacionalistas do País de Gales e da Escócia também poderiam ter um papel importante em uma eventual coalizão.

continua após publicidade

Maioria
 

O partido que consegue eleger o maior número de deputados no Parlamento com 650 cadeiras tem o direito de formar o novo governo, com o líder do partido como primeiro-ministro.
 

Se nenhum partido conseguir a maioria simples (326 cadeiras), ocorre uma situação a qual os britânicos chamam de “hung Parliament” (Parlamento enforcado, em tradução livre).
 

Nessa situação, com um Parlamento sem a maioria absoluta necessária para governar sozinho, o líder do partido com o maior número de deputados ainda pode encabeçar o governo, em uma possível aliança com um segundo partido.
 

Se os partidos não chegam a um acordo para a formação de um governo de coalizão, uma nova eleição pode ser convocada.