Geral

Duas passageiras do voo da TAM permanecem internadas

Da Redação ·

Os passageiros do voo da TAM, que viajava de Madri para São Paulo e teve de fazer um pouso forçado no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, chegaram ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, às 17h30 dessa segunda-feira, 2. Três comissários e 12 passageiros, que ficaram feridos, foram levados para o Instituto José Frota (IJF), maior hospital de emergência da capital cearense. Segundo a TAM, apenas duas passageiras precisaram ser internadas "para exames complementares": a colombiana Tatiana Indira Roncancio Velandia, de 32 anos, com fratura na coluna, e a peruana Graciela Anadeia Aguiar Di Carlier, de 52 anos, com trauma na clavícula. Elas permaneceram em Fortaleza e ainda não haviam recebido alta até a manhã desta terça-feira, 3. Ao todo, o voo contava com 168 passageiros e 16 tripulantes. O físico colombiano Andrés Martínez, de 30 anos, afirmou que a viagem estava tranquila até o momento da turbulência. "A viagem estava em voo de cruzeiro, mas, de repente, começou a tremer e parecia que o avião estava caindo. Eu estava de cinto de segurança, mas dava para ver pessoas, malas e coisas no ar." O Airbus A330 da TAM fazia o voo 8065, que saiu às 22 horas de domingo, 1, de Madri. A turbulência aconteceu quando a aeronave passou pela linha do Equador e foi sentida por cerca de dez minutos, segundo relatos dos passageiros. Muitas pessoas dormiam sem cinto de segurança e pelo menos nove estavam em pé na fila do banheiro, quando o incidente aconteceu, por volta da 1h50 dessa segunda. Segundo Martínez, algumas pessoas apresentavam feridas na cabeça, após terem batido com força no teto da aeronave. "Foi a pior situação que já aconteceu na minha vida, eu não gostaria de repetir. Já pensava que estava do outro lado", disse Cláudio Aleiva, cozinheiro paraguaio de 40 anos.

continua após publicidade