Geral

Programa de fomento do Itaú Cultural muda critérios de edital

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 2 de setembro (Folhapress) - O Itaú Cultural divulgou hoje os tópicos que dão novo norte para um de seus principais programas de fomento à cultura, o Rumos Itaú Cultural.

Trata-se de um edital com 16 anos de vida, aberto anualmente para artistas, produtores e pesquisadores da área. Os investimentos totais sobem de R$ 7 milhões (do ano passado) para R$ 8 milhões este ano, com limite de R$ 400 mil para cada projeto.

A maior diferença em relação aos programas anteriores é que o edital não coloca mais o teatro, a dança, o cinema, a música, a literatura ou as artes plásticas em processos de seleção separados.

O programa passa a considerar todas as áreas culturais como partes de um mesmo cenário. As inscrições serão abertas amanhã e vão até 14 de novembro.

Os selecionados, escolhidos por comissão interdisciplinar, terão seus nomes divulgados em maio do ano que vem.

Segundo o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron, as mudanças de critério refletem os novos caminho que têm balizado o circuito cultural brasileiro: o experimentalismo dos últimos anos e a criação de novas mídias valorizaram as interfaces.

Entre as modalidades propostas pelo Rumos em sua nova edição, há os seguintes tópicos: criação e produção de obras, residências artísticas, circulação de repertório, produção de conteúdo crítico e projetos de documentação. Há também o item "outras possibilidades", para projetos que não se incluam em nenhum categoria.

Mais informações podem ser obtidas no site do projeto (http://rumositaucultural.org.br/).

O crítico teatral Valmir Santor -que integra a comissão responsável pela seleção de projetos ao lado da artista plástica Regina Silveira e do cineasta Marcelo Gomes, entre outros- diz que a nova cartilha do Rumos também procurou ser menos rígida na categorização de alguns formatos de pesquisa.

"Assim o artista não precisa condicionar sua visão dentro do programa do edital", explica.
 

continua após publicidade