Geral

Manifestação de "black blocs" contra Sérgio Cabral fecha ruas do centro

Da Redação ·

RIO DE JANEIRO, RJ, 30 de agosto (Folhapress) - Um grupo de cerca de 60 "black blocs" fazem protesto contra o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). A marcha começou por volta das 19h na praça da Cinelândia. O grupo correu de maneira aleatória pelas ruas do centro. Os manifestantes chegaram à avenida Presidente Vargas, que ficou fechada para o trânsito por cerca de uma hora. O grupo caminhou até a sede da Prefeitura do Rio. Na volta, foi a vez da avenida Rio Branco ficar fechada. Um contingente grande de policiais, com pelo menos o dobro de pessoas no protesto acompanha. Viaturas e motocicletas do Batalhão de Choque acompanham a movimentação. Não houve tumulto até a publicação desta nota. Protestos Atos que exigem a renúncia do governador Sérgio Cabral - opção descartada pelo político - tornaram-se rotineiros no Rio. Devido às pressões das ruas, o peemedebista desistiu de utilizar diariamente um helicóptero do Estado para percorrer os menos de menos de 10 quilômetros que separam sua casa do Palácio Guanabara, ambos na zona sul da capital fluminense. A Folha de S.Paulo revelou que o gasto anual com operações aéreas da Subsecretaria Militar, responsável pela frota que atende as autoridades estaduais, é de R$ 9,5 milhões, incluindo combustível, seguro e aula para pilotos. Sete helicópteros atendiam ao governador, vice, secretários e presidentes de autarquias estaduais. "Foi um erro administrativo", diz Cabral sobre passeio pago pelo Estado Em junho, o procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Martins Vieira, instaurou procedimento para "[apurar o uso]" dos helicópteros. De acordo com a revista "Veja", as aeronaves transportaram os filhos de Cabral, babás e até o cachorro da família, Juquinha. Também foram usadas, segundo a reportagem, por empregados pessoais do governador em viagem à casa de veraneio do político.  

continua após publicidade