Geral

Na Bienal, Zuenir Ventura defende regras por direito autoral na internet

Da Redação ·

Por Adriano Barcelos RIO DE JANEIRO, RJ, 30 de agosto (Folhapress) - Participante histórico da Bienal do Livro do Rio, o escritor Zuenir Ventura esteve hoje no Riocentro para a 16ª edição do evento. De bom humor --apesar do trânsito que o fez chegar atrasado aos pavilhões--, Zuenir fez coro por um regramento que proteja o escritor em seus direitos autorais e elogiou iniciativas que levam as crianças a se tornarem novos leitores. O escritor disse que a literatura precisa se adaptar à convivência com a internet, mas usou de bom humor ao ironizar a confiabilidade das informações divulgadas pela rede. "Tenho uma certa pinimba com a internet porque ela já me matou, já disse que eu tinha morrido. E pelo visto era mentira", brincou. Sobre o tema dos direitos autorais, Zuenir afirmou que qualquer dificuldade agora é compreensível porque a internet é uma tecnologia muito nova, mas destacou que não se pode conviver com falta de regulação. "O escritor é um operário das palavras. Há escritores que vivem da sua escrita em livro. Eu ainda sou jornalista, sou meio ambivalente. Mas acho que essa coisa vai ter de ter uma regulamentação", assinalou. Zuenir disse que um dos papéis da Bienal do Livro do Rio e de outros eventos e feiras literárias pelo Brasil é fomentar a introdução do texto escrito no cotidiano dos mais jovens. "Há quem reprima o contato da criança com o livro porque a criança pode estragar o livro. É bom ver tantas escolas trazendo seus alunos aqui para se divertirem", disse, para em seguida completar: "No meu tempo, a leitura era um dever, uma coisa imposta. Quando se desperta a criança para o prazer de ler, ela segue adiante".  

continua após publicidade