Geral

Colômbia: Camponeses em greve levantam bloqueios

Da Redação ·
Agricultores colombianos em greve desde a segunda-feira da semana passada anunciaram hoje o levantamento dos bloqueios rodoviários iniciados há dez dias. O anúncio ocorreu horas depois de o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ter ordenado a militarização da segurança em Bogotá por causa dos violentos distúrbios que na véspera provocaram a morte de duas pessoas na capital do país. Porta-vozes dos agricultores em greve emitiram nota segundo a qual os participantes do protesto permitiriam "o livre trânsito de todo tipo", mas os manifestantes continuariam mobilizados às margens das estradas. Sem entrar em detalhes, os porta-vozes disseram ainda que houve "acordos parciais" após "extenuantes rodadas de diálogo" com o governo. Os bloqueios começaram a ser levantados pouco a pouco nos departamentos (Estados) de Boyacá e Cundinamarca, na região central da Colômbia, enquanto em Bogotá militares realizavam patrulhas em pequenos grupos. No entanto, a circulação dos soldados pela cidade de 8 milhões de habitantes era relativamente discreta em relação à maior presença da polícia nas ruas. Sem mencionar nenhuma espécie de acordo, o presidente Juan Manuel Santos disse que ordenou o retorno de seus negociadores que estavam em Tunja, capital de Boyacá, onde estão desde terça-feira em negociação com os líderes dos agricultores locais. Os negociadores que foram para os departamentos de Cundinamarca e de Nariño, também devem voltar a Bogotá. "Tomei decisões para assegurar a normalidade. Ordenei o envio de tropas para Bogotá", anunciou Santos em declarações feitas no palácio do governo. Santos não disse até quando a medida ficará em vigor nem a quantidade de militares destacados para a tarefa. Os distúrbios aconteceram na quinta-feira em meio a passeatas convocadas por universitários em apoio aos pequenos agricultores em greve desde 19 de agosto. As duas mortes ocorreram na noite de quinta-feira em duas localidades no oeste de Bogotá. No bairro de Suba, um jovem de 18 anos morreu e em Engativá a vítima foi um homem de 24 anos. Ambos foram mortos a tiros, segundo Guillermo Alfonso Jaramillo, secretário de governo da prefeitura de Bogotá. Fonte: Associated Press.
continua após publicidade