Geral

Desabamento-SP - (Atualizada)

Da Redação ·

Bombeiros encontram corpo de última vítima SÃO PAULO, SP, 29 de agosto (Folhapress) - Os bombeiros localizaram na tarde de hoje o corpo da última vítima do desabamento de um prédio da zona leste de São Paulo. O acidente ocorreu na anteontem e o corpo de Antônio Wellington era o único que permanecia desaparecido. Ao todo, 10 pessoas morreram e 26 ficaram feridas. Na manhã de hoje, já tinha sido localizado o corpo do operário Claudemir Viana. Um outro funcionário, que sobreviveu ao desabamento, voltou mais cedo ao local para auxiliar as buscas por Wellington. Rubens Moreno Feitosa, 24, apontou aos bombeiros o local onde estava o colega no momento da queda. Feitosa que foi localizado após falar com os bombeiros pelo celular, ainda nos escombros. Ele foi atendido no Hospital Santa Marcelina, mas recebeu alta no mesmo dia do acidente. O imóvel que desabou tinha dois pavimentos e ficava na avenida Mateo Bei, altura da rua Margarida Cardoso dos Santos. No local estava em construção uma loja de roupas. Antes, o endereço abrigava um posto de gasolina. Irregular A prefeitura informou logo após o acidente que o local estava irregular e que os responsáveis já tinham sido multados duas vezes. Embargada, a construção não poderia ter continuado. Com isso, a prefeitura diz que vai apurar, por sindicância, por que não foi feito um boletim de ocorrência registrando o embargo. Já ontem, a administração municipal afirmou que a planta do prédio apresentada à prefeitura no pedido de alvará mostrava apenas um andar no imóvel, apesar dele ter dois. A planta foi apresentada pela arquiteta Rosana Januário Ignácio e aponta a construção de um pavimento com três divisões - três lojas. O pedido de Alvará de Aprovação de Edificação Nova foi indeferido em 27 de maio de 2013. Alguns dias depois, ela teria apresentado um pedido de reconsideração e uma outra planta, de dimensões e especificações diferentes. A administração acrescentou ainda que "a empresa Salvatta Engenharia também não havia solicitado autorização para qualquer obra, reforma, mudança estrutural ou escavação de solo no imóvel". Ontem, o advogado do proprietário do imóvel afirmou que foram feitas escavações no local. A nota da prefeitura diz ainda que "não consta também pedido no Contru (que controla o uso dos imóveis) para construção de elevadores ou escadas rolantes", em resposta a outra afirmação do advogado que disse que esse tipo de equipamento estava sendo instalado no local. A reportagem tentou falar com a arquiteta por telefone, mas ela não se manifestou. Já a Salvatta Engenharia afirmou que ainda não teve conhecimento oficial das afirmações da prefeitura e que só irá se manifestar quando for notificada judicialmente.  

continua após publicidade