Geral

Bienal do Livro investe em futebol e jovens

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 28 de agosto (Folhapress) - A 16ª Bienal Internacional do Livro Rio será aberta ao público amanhã, às 13h, no Riocentro (zona oeste), com novos espaços voltado aos jovens e a debates sobre a relação entre literatura e futebol.

A meta é atrair ao menos 600 mil pessoas até o próximo dia 8 de setembro. Para isso, as atrações incluem o escritor de literatura fantástica Raphael Draccon e a equipe do programa de humor Porta dos Fundos, dentro da programação juvenil do #acampamento, e conversas da série Placar Literário.

As mesas sobre futebol, inspiradas na Copa de 2014, incluirão tanto autores que vêm escrevendo ficção sobre o tema, como Sérgio Rodrigues, quanto debates sobre outros cujas crônicas se tornaram clássicas, caso de Paulo Mendes Campos.

Nos 11 dias, o Riocentro receberá 180 autores, sendo 27 estrangeiros -nove deles alemães, dentro das celebrações que culminarão com a homenagem ao Brasil na Feira de Frankfurt, em outubro.

Da seleção alemã, dois autores, Ole Könnecke (da série infantil "Anton") e Manfred Geier ("Do que Riem as Pessoas Inteligentes"), cancelaram participação nos últimos dias. Mas foi confirmada a vinda de Andrew Miller, autor do romance histórico premiado "Puro".

Entre os nomes que devem atrair mais público estão os best-sellers Nicholas Sparks e Sylvia Day, além dos brasileiros Laurentino Gomes, Mauricio de Sousa e Ziraldo.

Autores celebrados pela crítica, como o moçambicano Mia Couto e o argentino César Aira, participam de debates mais literários.

Neste ano, a entrada passou de R$ 12 para R$ 14. É gratuita, mediante cadastro prévio no site, para professores, bibliotecários e "profissionais do livro" -inclusive escritores, que devem apresentar obra de autoria própria.

Estudantes e idosos pagam metade. Além disso, quem gastar acima de R$ 90 em determinados estandes (identificados com cartazes) pode ter o valor de uma entrada abatida no total da compra.

Organizada pela produtora Fagga e pelo Sindicato Nacional de Editores de Livros (Snel), a Bienal tem investimento total de R$ 32 milhões. Desses, R$ 4,8 milhões foram captados com incentivo via leis Rouanet e estadual.
 

continua após publicidade