Geral

Com crimes em alta, governo de SP anuncia planos para a região de Ribeirão

Da Redação ·





RIBEIRÃO PRETO, SP, 27 de agosto (Folhapress) - O secretário de Estado da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, anunciou hoje, em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), um pacote de medidas para as cidades da região.

O anúncio foi feito um dia depois de o governo paulista divulgar as estatísticas da violência no Estado, que apontam o crescimento do número de crimes em Ribeirão. Os casos de homicídio na cidade cresceram 20% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo Grella, a região vai receber um gabinete da secretaria, e está em estudo a ampliação do número de câmeras de segurança em Ribeirão. Esse projeto foi discutido pelo secretário com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) na manhã de hoje.

O secretário também anunciou que as prefeituras da região terão acesso ao sistema de informações criminais da secretaria, o Infocrim, que contém dados sobre locais e tipos de ocorrências registradas. As informações serão usadas para planejar ações dos municípios na área.

Está prevista ainda a contratação de cerca de 600 policiais civis para o Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), responsável por 93 municípios da região. O número está incluído nas 2.800 vagas anunciadas em maio deste ano.

O secretário participou na manhã de hoje da cerimônia de instalação da Comissão Permanente de Segurança Pública da Câmara de Ribeirão. Presidida pelo vereador Maurício Gasparini (PSDB), a comissão tem ainda como membros Ricardo Silva (PDT) e Samuel Zanferdini (PMDB), que é delegado.

Diante da presença do secretário em Ribeirão, foi organizado também no plenário da Câmara um ato de policiais militares, com o sindicato da categoria. As faixas estendidas cobraram melhores salários.

Criminalidade

Ribeirão registrou 36 assassinatos de janeiro a julho deste ano, ante 30 no mesmo período do ano passado, segundo os dados da secretaria divulgados ontem. As tentativas de homicídio tiveram alta de 60,61%, de 33 para 53. O número de roubos cresceu 5,8%, e o de furtos, 13%.

Quando considerada toda a região do Deinter-3, no entanto, os números da violência ficam estáveis, na comparação com o mesmo período do ano passado. Os assassinatos caíram e 157 para 155, e as tentativas de homicídio, de 240 para 232. Já os roubos apresentaram leve alta, de 2,2%, e os furtos, de 2,5%.
 

continua após publicidade