Geral

Conflitos entre aliados e opositores a Mursi deixam um morto no Cairo

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 22 de julho (Folhapress) - Aliados da Irmandade Muçulmana e opositores ao presidente deposto do Egito, Mohamed Mursi, entraram em confronto hoje após mais uma série de protestos na praça Tahrir, no Cairo. Pelo menos uma pessoa morreu e sete ficaram feridas.

Segundo o Ministério da Saúde, a pessoa morta foi atingida por um disparo de arma de fogo e morreu depois de ser hospitalizada. A Irmandade Muçulmana acusou o Exército de ter atirado contra os aliados de Mohamed Mursi.

Os islâmicos afirmam que os militares também foram responsáveis por lançar pedras contra a manifestação, com milícias aliadas ao governo, na zona norte cairota. O Exército fechou o caminho do Cairo a Qaliub devido aos distúrbios na área.

Segundo o médico Hishan Ibrahim, que comanda o centro médico da Irmandade, cerca de 40 pessoas ficaram feridas em confrontos em outras regiões do país.

O Egito está dividido entre partidários e opositores de Mursi, que foi derrubado no dia 3 de julho em um golpe de estado militar, após grandes protestos que dias antes pediam eleições antecipadas. A Irmandade Muçulmana considera a saída de Mursi um golpe de Estado e convoca protestos diários contra a deposição.
 

continua após publicidade