Geral

Haiti pede apoio internacional para realizar eleições

Da Redação ·

O presidente do Haiti, René Préval, pediu ao Brasil, aos países caribenhos e à comunidade internacional que apoiem a realização das eleições presidenciais daquele país, marcadas para 7 de fevereiro do ano que vem, para que "a democracia possa garantir a estabilidade" no país. O pedido foi feito durante a realização da primeira Cúpula Brasil - Comunidade do Caribe, realizada no Itamaraty, em Brasília, durante toda esta segunda-feira.

continua após publicidade

"Não há desenvolvimento sem democracia", declarou o ministro interino das Relações Exteriores, Antonio Patriota, dizendo que estava repetindo as palavras de Préval durante a reunião.

continua após publicidade

Depois de lembrar que até a sua posse, ele foi o primeiro presidente haitiano a assumir o cargo e deixar o comando em ambiente de estabilidade com prosperidade relativa, Préval salientou ainda que, até o terremoto em 12 de janeiro, o Haiti estava na rota da retomada do crescimento econômico e isso só ilustra de maneira clara que a prosperidade e o desenvolvimento estão associados ao desenvolvimento institucional e o enraizamento da democracia.

continua após publicidade

Questionado se é possível que possam não ocorrer eleições por causa da situação no país, o embaixador Patriota respondeu: "não vou dizer que haja hipótese", mas ressalvou que "sempre pode haver uma certa preocupação". Mas Patriota lembrou que "o Haiti superou, nos últimos anos, situação grave de instabilidade crônica e agora está se deparando com desafio grande da reconstrução depois do terremoto que ocasionou 300 mil vítimas".

O ministro interino falou ainda da ajuda que o Brasil tem dado à estabilidade do Haiti, com resultados que a ONU e a comunidade internacional dizem que são positivos. "E não é porque houve um terremoto no Haiti que se deve interpretar que haverá retrocesso no plano da estabilidade e do progresso político e institucional do Haiti. É nesse sentido que estamos falando de contribuição possível e como a comunidade institucional, OEA, ONU, podem assistir o Haiti na organização das eleições para que o presidente Préval possa transferir a presidência em 7 de fevereiro 2011".