Geral

Sêmen encontrado em corpo de Tayná não é de presos

Da Redação ·
Sêmen encontrado em corpo de Tayná não é de presos (Divulgação/Facebook)
fonte:
Sêmen encontrado em corpo de Tayná não é de presos (Divulgação/Facebook)

O sêmen encontrado no corpo da adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, morta no dia 25 de junho em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), depois de um suposto estupro, não é dos quatro suspeitos presos, apontados como autores do crime. A informação foi confirmada na manhã desta terça-feira (9) pela Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp), após a conclusão do laudo da Polícia Científica, que fez exame de DNA. 

continua após publicidade


Segundo a assessoria de imprensa da Sesp, os órgãos envolvidos nas investigações sobre o caso participaram de uma reunião na manhã de hoje, na sede do Instituto Médico Legal (IML) da capital, para definir uma nova linha de atuação. Como o inquérito já foi entregue ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) e ao Poder Judiciário, na última sexta-feira (5), porém, caberia agora ao promotor solicitar mais informações sobre o que aconteceu. Até o momento, não foi identificado de quem é o sêmen. 
 

A Sesp irá abrir uma sindicândia para investigar o vazamento do laudo e também determinou que o delegado Silvan Rodney Pereira, que estava em férias, volte ao trabalho imediatamente para comandar as investigações. 

Desde o início das apurações, há contradições nas versões apontadas pela polícia.

O crime - O corpo de Tayná Adriane da Silva foi encontrado no dia 28 de junho em um matagal na Rua Márcio Cardoso, em Colombo, após quase 15 horas de busca. A adolescente estava sumida desde a noite da terça-feira anterior (25), quando saiu de casa para se encontrar com uma amiga. Por volta das 20h30, ela enviou mensagem ao celular da mãe avisando que voltaria logo, mas acabou não aparecendo. A família registrou boletim de ocorrência no mesmo dia. 

Com informações do Bonde