Geral

Quatro corpos são resgatados no rio Piracicaba

Da Redação ·







Por Lucas Sampaio

CAMPINAS, SP, 6 de julho (Folhapress) - Cinco dias após o acidente na construção de uma ponte sobre o rio Piracicaba, em Piracicaba (a 158 km de São Paulo), o corpo de um funcionário continua desaparecido. Dois corpos foram resgatados ontem e outros dois, na quinta-feira.

Apenas o Corpo de Bombeiros continua as buscas no local neste fim de semana. Os mergulhadores contratados pela Construtora Tardelli --responsável pela execução da obra-- para auxiliar o trabalho dos bombeiros foram dispensados na manhã de hoje e retornarão ao trabalho apenas depois de amanhã.

Na segunda-feira, um dos pilares de uma das duas pontes que fazem parte do anel viário de Piracicaba e estão sendo construídas sobre o rio de mesmo nome cedeu, por volta das 8h, derrubando dez vigas onde estavam dez funcionários da obra.

Dois funcionários ficaram pendurados --e foram resgatados pelo helicóptero Águia, da PM-- e oito caíram no rio. Três dos oito conseguiram sair do local nadando, mas cinco desapareceram. Segundo a Construtora Tardelli, todos usavam equipamentos de segurança na hora do acidente.

Dois corpos só foram retirados dos escombros três dias após o acidente, e outros dois, só ontem, porque foram soterrados pelas vigas.

Foi necessário o uso de máquina subaquática de corte de concreto e um guindaste para a retirada do material do leito do rio para possibilitar o resgate.

Um grupo de mergulhadores profissionais foi contratado para auxiliar os bombeiros nas buscas.

Foi aberto inquérito pela Polícia Civil, no 4º DP (Distrito Policial) de Piracicaba, para investigar a responsabilidade pelo acidente.

Além da perícia do IC (Instituto de Criminalística), foram contratados outros dois institutos independentes para apurar o motivo da queda do pilar.

A Tardelli afirma que apenas executava a obra, de responsabilidade da concessionária Rodovias do Tietê, e diz ter contratado uma equipe da USP (Universidade de São Paulo) para avaliar o caso.

Em nota, a Rodovias do Tietê informou ter contratado o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) para "ter uma avaliação precisa e rápida".

A concessionária lamentou o acidente e disse se tratar de uma "fatalidade".

Anel viário

O acidente aconteceu próximo ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Piracicaba, na altura do cruzamento do anel viário com a rodovia Deputado Laércio Corte (SP-147), que liga a cidade a Limeira.

A obra faz parte do contrato de concessão da Rodovias do Tietê e está orçada em R$ 79 milhões. Ela foi iniciada em 2011 e tinha término previsto para o fim deste ano, mas agora está embargada por tempo indeterminado.

Quando finalizado, o contorno de Piracicaba terá 9 km de extensão, sete viadutos e duas pontes sobre o rio --uma delas onde ocorreu o acidente. A outra, segundo a construtora responsável, já está finalizada.

O anel viário é a continuidade da rodovia do Açúcar (SP-308), que liga Piracicaba a Salto. Quando concluído, ele ligará as rodovias do Açúcar (SP-308), Luís de Queiróz (SP-304), Cornélio Pires (SP-127) e Deputado Laércio Cortes (SP-147).
 

continua após publicidade