Geral

Acusados da morte de juíza serão transferidos para Bangu 1

Da Redação ·





Por Marco Antônio Martins

RIO DE JANEIRO, RJ, 5 de julho (Folhapress) - O juiz Peterson Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói (região metropolitana do Rio) decidiu transferir para o presídio de Bangu 1, no Rio, o tenente-coronel Claudio Luiz Silva de Oliveira e o tenente Daniel Santos Benitez Lopes, ambos da PM. A dupla é acusada da morte da juíza Patrícia Acioli, em agosto de 2011.

Eles estavam no presídio federal de Porto Velho (RO). A decisão atendeu ao pedido dos advogados da dupla que alegaram dificuldade em defendê-los devido à distância que estavam de seus clientes. Barroso Simão tomou essa decisão ontem.

"Não há dúvida e todos têm certeza de que ocorreu uma tragédia com o assassinato da vítima. Mas é preciso em todas essas hipóteses sem exceção conferir aos acusados o direito constitucional de se defenderem com livre acesso aos seus advogados, sob pena de macular o trabalho prudente que vem sendo realizado neste processo. Pensar diferente seria regar uma semente de nulidade", considerou o juiz em sua decisão.

Logo após a prisão, em 2011, os policiais foram transferidos para um presídio federal. Primeiro foi em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Desde março deste ano, eles foram levados para a unidade de Porto Velho.

"Renovo preliminarmente o enorme respeito que tenho pela Comarca de Porto Velho e pelo estado de Rondônia, quer pela ilustre população que lá habita, quer pelas riquezas naturais existentes. Porém, é público e notório que pernoitar em um avião no Rio de Janeiro e amanhecer na Europa ou na América do Norte e do Sul é mais fácil do que, do mesmo ponto inicial, chegar ao lugar onde os acusados se encontram presos", ressaltou o juiz.

A juíza Patrícia Acioli foi morta com 21 tiros na porta de sua casa em Piratininga, Niterói. Dos 11 PMs denunciados pelo crime, cinco já foram julgados. Todos foram condenados com penas que variaram de 16 a 26 anos de prisão. Os dois policiais transferidos devem chegar ao Rio até segunda-feira.
 

continua após publicidade