Geral

Governo-Argentina

Da Redação ·

Cristina Kirchner ataca Justiça e pede união de aliados para eleições SÃO PAULO, SP, 29 de junho (Folhapress) - A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, voltou a atacar o Judiciário do país e pediu união aos seus aliados políticos, em discurso durante convenção de seu grupo, o Frente para a Vitória, que mostrou os candidatos para a eleição legislativa de 27 de outubro. Interrompida em diversos momentos pelos jovens de movimentos aliados, como o La Cámpora, Cristina voltou a mostrar apoio à reforma do Conselho da Magistratura, que visa instituir o voto popular para o órgão que escolhe os membros do Judiciário. "O voto popular deixa doendo os ouvidos da corporação, mas não poder exercê-lo fere a inteligência e a dignidade de 40 milhões de argentinos. Existem muitos que conseguem um montão aos poucos. Imaginem o que poderíamos conseguir com juízes que votem fora do que querem corporações". Sem mencionar a oposição e a imprensa, afirmou que sofre um ataque "impiedoso, mesquinho e sabotador" e que a memória do povo "é eterna e muito mais importante que qualquer manchete de jornal". "A cada crítica, uma ação do governo; a cada insulto, um argentino com seu trabalho. Essas são as respostas à crítica e à qualificação." Ela defendeu o legado de seu partido, pedindo que se aumentem os esforços para aprofundar o modelo político. "Se ganhamos uma década, sabemos que podemos ganhar mais uma, para compensar 50 anos de atraso". O evento teve a presença de 16 governadores aliados, de candidatos e militantes políticos. Antes do discurso de Cristina, foi exibido um vídeo com as obras feitas pelo atual governo e uma homenagem ao ex-presidente Néstor Kirchner, morto em 2010, que levou Cristina às lágrimas.  

continua após publicidade