Geral

Snowden segue "perdido" no aeroporto de Moscou

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 29 de junho (Folhapress) - O ex-técnico da CIA Edward Snowden completa hoje seis dias "perdido" na zona de trânsito do aeroporto de Sheremetievo, em Moscou, enquanto não se sabe se os Estados Unidos aceitarão as condições colocadas pelo pai do fugitivo para que seu filho compareça perante a Justiça americana. A família do foragido impôs três condições ao Departamento de Justiça americana para o retorno do jovem: que ele não seja preso antes de ser julgado, que o caso não se desenrole em segredo e que o local do julgamento seja definido por Snowden. O presidente do Equador, Rafael Correa, revelou hoje que conversou com o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que pediu a ele que rejeite o pedido de asilo do foragido americano. "Falamos do tema Snowden e ele me transmitiu o pedido muito cortês dos Estados Unidos de, por favor, rejeitar o pedido de asilo", afirmou Correa em seu relatório de trabalho semanal, assinalando que a conversa por telefone ocorreu na manhã de ontem. Correa também afirmou que Edward Snowden revelou o maior caso de espionagem da história, por isso acha que os Estados Unidos devem uma explicação. "O que realmente é grave é o que Snowden denunciou a maior espionagem em massa da história da humanidade, dentro e fora dos Estados Unidos", afirmou o presidente em seu relatório. Correa questionou que, apesar disso, para alguns meios de comunicação isso não é tão grave e o importante é capturar Snowden e destruir midiaticamente o governo ou país que decidir atender ao pedido de asilo a ele. Snowden é acusado de espionagem nos Estados Unidos por ter revelado programas secretos de vigilância das comunicações do governo de Barack Obama.  

continua após publicidade