Geral

Rússia acusa oposição e países do golfo de barrar diálogo

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 28 de junho (Folhapress) - O chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, acusou hoje a oposição da Síria e países do golfo Pérsico de bloquear a conferência convocada por Moscou e Washington para buscar uma solução para o conflito no país árabe, que dura mais de dois anos. A reunião foi convocada em maio por Lavrov e o secretário de Estado americano, John Kerry. No entanto, ainda não há previsão de data para começar, devido à falta de uma comissão da oposição síria e a diferenças sobre a presença de países como o Irã e a Arábia Saudita. Para o chanceler russo, os rebeldes e países como Arábia Saudita e Qatar bloqueiam as discussões ao tentar definir condições prévias, como a saída do ditador Bashar al-Assad. Ele destacou que, quando a iniciativa foi lançada, ficou estabelecido que os participantes não colocariam condições prévias. "A oposição, que é apoiada pelo Ocidente, e outros países da região anunciaram que não vão para a conferência até o regime concordar em capitular". Ele também se disse contra o envio de armas por países ocidentais e do golfo Pérsico à Síria, que considera "uma contradição ao conceito" do evento. Lavrov se encontrará com Kerry na semana que vem para definir mais detalhes da negociação. A Rússia, que tem apoiado Assad enviando armas Damasco e protegê-lo das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, concordou com Washington em maio, para ajudar a tentar trazer os lados em conflito para uma conferência de paz. Mas as negociações preparatórias essa semana em Genebra entre o russo, as autoridades americanas e a ONU terminou sem progressos. A Rússia, que se opõe à intervenção externa na crise, diz que não está defendendo Assad, mas diz que sua remoção do poder não pode ser uma condição para negociar. Desde o início do conflito na Síria, nenhum dos grupos conseguiu chegar a um acordo para dar fim ao conflito, que já deixou mais de 90 mil mortos desde março de 2011, segundo a ONU (Organização das Nações Unidas).  

continua após publicidade