Geral

Manifestantes trocam marcha por ato com trio elétrico

Da Redação ·

Por Felipe Bächtold SÃO PAULO, SP, 27 de junho (Folhapress) - Milhares de manifestantes se reúnem na frente da sede do governo do Rio Grande do Sul em Porto Alegre na noite de hoje em mais um protesto organizado por grupos que reivindicam a redução da tarifa de transporte público. Ao contrário das últimas duas grandes manifestações promovidas na cidade, o governo de Tarso Genro (PT) autorizou desta vez que os participantes do ato se aproximassem da praça em frente ao palácio. Na última segunda-feira, a praça teve seus acessos totalmente bloqueados com grades. A polícia temia que extremistas atacassem os prédios públicos do local, que também abriga a Assembleia Legislativa e o Palácio da Justiça. Hoje, as grades foram colocadas apenas nas proximidades dos três palácios. O Bloco de Luta pelo Transporte Público, grupo na linha de frente da organização das manifestações, divulgou nota afirmando que não haverá marcha pela cidade nesta quinta - apenas a concentração na praça. Um trio elétrico foi posicionado na frente da sede do governo. Uma banda abriu a programação da noite tocando a música "Que País é Esse", da Legião Urbana. Sindicatos e uniões de estudantes novamente comparecem em peso ao protesto. Centenas de policiais militares acompanham o ato. As últimas quatro passeatas em Porto Alegre deixaram feridos e terminaram em confrontos com a polícia e depredações. A Polícia Civil diz que cresceu a infiltração de gangues que comparecem às manifestações apenas para cometer roubos e saques. A segurança no centro da capital gaúcha foi reforçada. Lojistas novamente decidiram fechar as portas mais cedo para evitar a ação dos vândalos. Órgãos públicos também dispensaram os servidores no meio da tarde. Os responsáveis pelo edifício onde mora o prefeito José Fortunati (PDT), que também fica na praça, colocaram placas de madeira na entrada do prédio para evitar depredações. Hoje, o Tribunal de Justiça gaúcho confirmou a validade de uma liminar de primeira instância que reduziu em abril o preço da passagem de R$ 3,05 para R$ 2,85 na cidade.  

continua após publicidade