Geral

Irã aceita inspeções em usinas de urânio

Da Redação ·
Técnico iraniano trabalha em usina de enriquecimento de Urânio perto da cidade de Isfahan, 410 km ao sul de Teerã, capital da República Islâmica
fonte: Vahid Salemi/AP
Técnico iraniano trabalha em usina de enriquecimento de Urânio perto da cidade de Isfahan, 410 km ao sul de Teerã, capital da República Islâmica

Com atraso de mais de dois meses, o Irã aceitou dar aos monitores da ONU mais acesso ao local onde o país começou a enriquecer urânio a 20%, disseram diplomatas nesta sexta-feira (23).

continua após publicidade

As fontes revelaram que a medida deveria ter sido tomada assim que o Irã começou a enriquecer urânio, em fevereiro. O enriquecimento começou antes que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) aumentasse sua vigilância no local.

continua após publicidade

O embaixador do Irã junto ao órgão, Ali Asghar Soltanieh, confirmou que o país vai permitir as inspeções.

continua após publicidade

- Em princípio, sim, concordamos em assegurar que solicitações legítimas e tecnicamente justificadas da AIEA sejam atendidas.

Suspeitando de que a real intenção do Irã seja desenvolver armas nucleares, potências ocidentais dizem que a nova fase do enriquecimento é provocativa e merece ser respondida com sanções da ONU.

continua após publicidade

O Irã diz que passou a enriquecer urânio a 20% para alimentar um reator de pesquisas médicas em Teerã. Para desenvolver armas nucleares, o país teria de purificar o material a mais de 90%. A República Islâmica assegura que seu programa nuclear está voltado para fins pacíficos.