Geral

Jovem de 25 anos é o 1º usuário de crack a ser internado compulsoriamente no Estado

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 24 de maio (Folhapress) - O governo de São Paulo fez ontem a primeira internação compulsória de usuário de drogas desde que foi montado o plantão jurídico do Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas), para esse fim, em 21 de janeiro deste ano. O usuário de 25 anos morava na rua havia 15 anos e foi acolhido na região da Luz, no centro da capital paulista. Ele passou por avaliação médica e, segundo a secretaria de Saúde, apresentava sinais de intoxicação por diversas drogas e também foi diagnosticado com retardo mental. O jovem afirmou durante a avaliação que não sabe onde está sua família e que usava crack, álcool, solvente e cocaína diariamente, o que o tornava um risco a si e a outros. Com isso, a Justiça decidiu pela internação compulsória e o encaminhou para tratamento no Hospital Lacan, em São Bernardo do Campo, na Grande SP. O pedido de internação compulsória só acontece em casos extremos, quando há riscos. Nesses casos, a Justiça autoriza a medida, após atestado médico e parecer da Promotoria (a família não precisa pedir). Além disso, o dependente só pode deixar a internação com alta médica ou ordem judicial. Segundo a Secretaria de Saúde, desde janeiro, o Cratod já atendeu 28.257 ligações, realizou 4.051 atendimentos e 906 internações, sendo 830 de forma voluntária - com o consentimento do dependente.  

continua após publicidade