Geral

Pai de tchetcheno morto pelo FBI diz que filho foi torturado

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 23 de maio (Folhapress) - O pai de Ibragim Todashev, imigrante tchetcheno morto na última quarta-feira enquanto era interrogado pelo FBI (polícia federal americana) sobre sua ligação com Tamerlan Tsarnaev, um dos autores do ataque na Maratona de Boston, disse hoje que deve ir aos EUA para esclarecer a morte do filho. Ele suspeita que ele tenha sido torturado antes de morrer.

"Eu suspeito que eles [os agentes] tenham torturado meu filho e que ele tenha sofrido uma morte dolorosa", disse Abdulbaki Todashev, que vive na Tchetchênia.

De acordo com a polícia, o rapaz tentou atacar os agentes que o investigavam com uma faca e então foi morto na última quarta. Todashev estava sendo interrogado em sua casa, em um condomínio em Orlando. Após sua morte, algumas ruas do complexo residencial foram fechadas.

Segundo Abdulbaki, seu filho conheceu Tsarnaev quando viajou para os EUA para estudar inglês. Ele disse ainda que permitiu que o filho mais velho se mudasse para o país porque os EUA é um país mais seguro do que a Tchetchênia.

Ibragim Todashev viajou para os EUA em 2008 e viveu em Boston antes de se mudar para a Florida.

O FBI está revisando o caso e não identificou publicamente o agente que atirou em Ibragim. Segundo o jornal "Orlando Sentinel", o agente é a divisão de Boston.

Segundo o "New York Times", os agentes policiais interrogavam Ibragim Todashev sobre sua participação em um triplo assassinato ocorrido em setembro de 2011, em Waltham, Massachusetts.

De acordo com um oficial, os investigadores trabalham com a hipótese de que Ibragim Todashev e Tsarnaev participaram dos assassinatos. Uma das vítimas do crime era amiga de Tsarnaev.

De acordo com autoridades, ele havia sido ouvido pelo menos duas vezes desde os ataques na Maratona de Boston --que mataram três pessoas e feriram 264 pessoas.

Os assassinatos em Waltham foram considerados um dos crimes mais violentos na área de Boston nos últimos anos. Três homens foram encontrados com suas gargantas cortadas e polvilhadas com maconha.

Tsarnaev, de origem tchetchena, é acusado de ter organizado junto com o irmão, Dzhokhar, 19, a explosão de duas bombas perto da linha de chegada da Maratona de Boston. O atentado deixou três mortos e 264 feridos. Tamerlan foi morto em um tiroteio com policiais quatro dias depois da ação. Ele é apontado pelo FBI como mentor do ataque.

Seu irmão caçula, Dzhokhar, foi preso horas mais tarde, com um ferimento a bala na região do pescoço. Ele permanece internado em um hospital prisional, mas, conforme o FBI, já prestou depoimentos sobre o caso e assumiu sua responsabilidade.

A primeira audiência judicial sobre o caso será em 2 de julho que vem. Dzhokhar pode acabar condenado à morte.
 

continua após publicidade