Geral

Após encontro, grupo diz que Assad não tem lugar no futuro do país

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 22 de maio (Folhapress) - O grupo Amigos da Síria afirmou hoje que o presidente sírio, Bashar al-Assad, não tem lugar no futuro do país e comprometeu-se a aumentar seu apoio à oposição até que um governo de transição seja estabelecido.

Em um comunicado conjunto divulgado ao final de mais de cinco horas de reunião na Jordânia, as onze nações concordaram que "Assad, seu regime e seus aliados próximos com sangue em suas mãos não podem desempenhar papel algum no futuro da Síria".

"Os ministros também enfatizaram que até o momento em que a reunião de Genebra estabelecer um governo de transição, eles aumentarão o seu apoio à oposição e darão todos os outros passos necessários", indicou o comunicado.

Um alto funcionário americano não confirmou, no entanto, se isso significa que Washington deixará de lado sua relutância em fornecer armas aos rebeldes.

O encontro reuniu os ministros de Relações Exteriores de Jordânia, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito, Qatar, Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Turquia e Alemanha.

Os chanceleres se reuniram em um hotel de Amã, antes de se encontrar com o presidente interino da Coalizão Nacional Síria, George Sabra, e outros dois líderes rebeldes.

O ministro catariano das Relações Exteriores, Hassem bin Jassem al-Thani, acusou Assad de "continuar matando seu povo com a ajuda externa e usando armas proibidas".

O conflito sírio já deixou mais de 70 mil mortos segundo a ONU.
 

continua após publicidade