Geral

Atentados deixam 40 mortos no Paquistão

Da Redação ·

Pelo menos 40 pessoas morreram e 60 ficaram feridas em dois atentados suicidas neste sábado perto de um local de registro para deslocados internos no noroeste do Paquistão, informou a polícia do país.

continua após publicidade

As bombas foram detonadas em um espaço de minutos no centro de Kacha Pukha, nos arredores da cidade de Kohat.

O ataque acertou um grupo de deslocados internos que esperava pela distribuição de alimentos.

continua após publicidade

Mais de um milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas na região tribal próxima à fronteira com o Afeganistão, onde o Exército paquistanês luta contra militantes islâmicos.

Um porta-voz da polícia local, Khalid Omarzai, disse que as explosões ocorreram quando os alimentos estavam sendo distribuídos.

Segundo o correspondente da BBC no Paquistão Aleem Maqbooi, as vítimas eram muçulmanos xiitas. O grupo sunita Lashkar-e-Jhangvi assumiu a autoria dos atentados.

continua após publicidade

O centro de Kacha Pukha oferece abrigo às pessoas que chegam do distrito de Orakzai, onde os militares vêm combatendo os militantes desde o fim do ano passado.

Cerca de 210 mil civis foram deslocados, incluindo quase 50 mil que fugiram de suas casas no mês passado, depois que a infantaria entrou na região.

‘Bárbaro’

continua após publicidade

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, condenou os ataques e ordenou que a segurança seja reforçada para “proteger as pessoas de incidentes terroristas”.

As autoridades ordenaram que o incidente, descrito pelo ministro da Defesa Ahmad Mukthar como “altamente bárbaro e covarde”, seja investigado.

continua após publicidade

Em um comunicado distribuído pela agência de notícias Associated Press of Pakistan, ele disse que os terroristas querem desestabilizar o país, mas que todos os esforços serão feitos para eliminá-los.

Uma série de atentados a bomba no Paquistão atribuídos à al-Qaeda e a militantes do Talebã causaram a morte de mais de 3.200 pessoas em menos de três anos.

O presidente americano, Barack Obama, descreveu a área tribal na fronteira com o Afeganistão como o lugar mais perigoso da Terra.

O Paquistão é um aliado chave de Washington na tentativa de estabilizar o vizinho Afeganistão.