Geral

Ray Manzarek, ex-tecladista e fundador do The Doors, morre aos 74 anos

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 20 de maio (Folhapress) - O ex-tecladista do The Doors, Ray Manzarek, morreu hoje aos 74 anos devido a um câncer do ducto biliar. A informação foi confirmada pela página oficial da banda no Facebook.

Manzarek fundou o Doors com Jim Morrison na Califórnia, em 1965.

Ele morreu na Alemanha, na clínica RoMed, em Rosenheim, no sul do país, acompanhado por sua mulher, Dorothy, e por seus irmãos, Rick e James. Além deles, Manzarek deixa um filho e três netos.

Com o The Doors, Manzarek lançou clássicos absolutos da história do rock, entre eles "L.A.Woman," "Break On Through to the Other Side," "The End," "Hello, I Love You" e "Light My Fire". A banda se tornou uma das mais famosas da década de 1960 e alcançou sucesso mundial, com mais de 100 milhões de discos vendidos e uma grande base de fãs até os dias de hoje.

O ex-guitarrista da banda, Robby Krieger, emitiu um comunicado no qual se dizia "profundamente entristecido" em receber a notícia da morte do amigo e ex-companheiro.

"Eu fico feliz de ter tocado músicas do Doors ao lado dele na última década. Ray era uma grande parte da minha vida e eu sentirei sua falta para sempre."

Na mensagem postada no Facebook oficial da banda, a família de Manzarek pede aos fãs que, em vez de enviarem flores, façam doações em nome do músico à fundação Stand Up 2 Cancer, que ajuda as vítimas da doença.

No filme de Oliver Stone, "The Doors", de 1991, Manzarek foi interpretado por Kyle McLachlan. Em 1998, o músico lançou "Light My Fire: My Life with The Doors", livro no qual contava histórias de sua experiência com a banda.

Vida

Nascido em 12 de fevereiro de 1939, em Chicago, Ray Manzarek era descendente de poloneses.

Ele aprendeu a tocar piano ainda criança e se formou em economia na Universidade DePaul.

Entre 1962 e 1965, Manzarek morou na Califórnia, enquanto estudava no departamento de cinematografia da UCLA. Foi quando conheceu Jim Morrison, que fazia faculdade de cinema, e também Dorothy Fujikawa, com quem mais tarde se casaria e teria um filho.

40 dias depois de se formarem, Manzarek e Morrison se encontraram por acaso numa praia de Los Angeles. Morrison disse que havia escrito algumas músicas, e Manzarek se interessou em ouvi-las. O encontro marcou a criação do The Doors, com Manzarek no teclado e Morrison como vocalista.

Mais tarde, se juntariam à banda o baterista John Densmore e o guitarrista Robby Krieger. Como o grupo não tinha baixista, Manzarek tocava os graves num piano. Eles lançaram seu primeiro disco, "The Doors", em 1967.

O som característico de Ray Manzarek era o do órgão Vox Continental, instrumento usado depois por muitas bandas de rock psicodélico.

Após a morte de Jim Morrison, em 3 de julho de 1971, Manzarek assumiu os vocais do The Doors ao lado de Krieger, nos discos "Other Voices" (1971) e "Full Circle" (1972).

Em 1973, a banda se desfez, mas voltou a se reunir em diversas oportunidades, a última delas em 2011. Na primeira, em 1978, lançou o disco "An American Prayer", último da carreira do grupo.

Em 2001, Ray Manzarek, John Densmore e Robby Krieger reuniram-se pela primeira vez em mais de vinte e cinco anos para tocar canções do The Doors para uma série de televisão. Em 2002, Manzarek e Krieger criaram uma nova versão dos Doors, designada The Doors of the 21st Century, liderados pelo vocalista Ian Astbury (do The Cult). Mas, em julho de 2005, a banda foi obrigada a mudar o nome para D21C, depois de perder uma ação judicial para a família de Morrison.

Em 2004, tocaram no Brasil, e voltaram a se apresentar no país em 2008 e 2009, já rebatizados: primeiro, como Riders on the Storm (o mesmo título de uma de suas músicas mais famosas) e depois como Manzarek & Krieger of the Doors.

Entre os hiatos do The Doors, o tecladista se manteve ativo, com uma carreira solo de quatro discos, além de outros dois lançados em parceria com o guitarrista Roy Rogers -o último deles, "Translucent Blues", de 2011.
 

continua após publicidade