Geral

Suspeitos de matar dentista tem prisão preventiva decretada

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 16 de maio (Folhapress) - A Justiça de São Paulo decretou ontem a prisão preventiva dos três suspeitos de matar queimada a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46, no mês passado, em São Bernardo do Campo (na Grande São Paulo). Victor Miguel Souza Silva, 24, Jonatas Cassiano Araújo, 21, e Thiago de Jesus Pereira, 25, já estavam presos por conta de um decreto de prisão temporária (30 dias). Um adolescente também é suspeito do crime. No início da semana, o Ministério Público encaminhou à Justiça a denúncia contra três pelos crimes de latrocínio, sequestro relâmpago, quadrilha armada e roubo qualificado. A denúncia aponta que o trio já tinha atacado outros dentistas durante assaltos e Thiago era o mentor do grupo. De acordo com a Promotoria, ele escolheu o consultório de Cinthya para assaltar e foi o primeiro a entrar no local sob o pretexto de colocar "uma massinha nos dentes". Victor entrou depois e os dois prenderam a vítima. Durante o assalto, Jonatas teria pego o cartão bancário da dentista e ido até uma loja de conveniência para fazer saques, mas havia apenas R$ 30. Insatisfeitos com o valor sacado, os criminosos teriam ameaçado Cinthya e jogado álcool ao seu corpo, jogando o isqueiro em seguida. Segundo o Ministério Público, o adolescente de 17 anos detido após o crime confessou o crime perante Promotor de Justiça da Infância e da Juventude, "com riqueza de detalhes".  

continua após publicidade