Geral

Promotoria pede que filho de Ike Batista pague multa de R$ 1 mi e faça serviço comunitário

Da Redação ·

RIO DE JANEIRO, RJ, 15 de maio (Folhapress) - O Ministério Público do Rio anunciou hoje que pediu a condenação de Thor Batista, 21, filho do empresário Eike Batista, pelo atropelamento e morte de Wanderson Pereira dos Santos, 30, em março do ano passado, numa rodovia na Baixada Fluminense.

A Promotoria afirmou que Thor deve ser responsabilizado por homicídio culposo - quando não há intenção de matar - mas sua pena deve ser convertida em prestações de serviços e no pagamento de uma multa de R$ 1 milhão, direcionados a uma instituição, a ser definida - de preferência hospitalar ou de reabilitação de pessoas acidentadas no trânsito.

Thor Batista, 21, prestou depoimento pela primeira vez em juízo no último dia 25. Ele afirmou que fez um acordo no qual pagou R$ 300 mil de indenização à família do ciclista Wanderson Santos.

O dinheiro, segundo Thor, teria sido pago para uma tia com quem o ciclista morava. O filho do empresário disse ainda ter recibos e documentos que comprovam o acordo.

O réu voltou a afirmar que trafegava dentro da velocidade permitida (110 km/h), que estava muito escuro no local e o acidente foi "inevitável".

O rapaz contou que, como o carro que dirigia é baixo - uma Mercedes-Benz SLR McLaren -, viu só o quadro da bicicleta e um homem no meio da pista da esquerda.

Quando notou, disse, o ciclista "já estava em cima" e pisou no freio. Thor contou que pediu a seus seguranças que socorressem o homem.

A sentença de primeira instância deve sair até o final do semestre.

Sobre o novo posicionamento da promotoria, a assessoria de Thor disse, hoje, que não vai comentar o caso.
 

continua após publicidade