Geral

Acidente-SP - (Atualizada)

Da Redação ·

Adolescente diz ter sido agredido por PMs após acidente com 3 carros Por Ana Krepp SÃO PAULO, SP, 14 de maio (Folhapress) - O adolescente que viajava no banco do passageiro do Audi que bateu em três veículos na noite de ontem na zona leste de São Paulo afirma que ele e o amigo foram agredidos pelos policiais após o acidente. "Meu amigo estava desmaiado, com a cabeça sangrando e levou vários chutes. Os policiais ainda falaram "acorda, vagabundo, não tava fugindo da polícia?"", disse. O jovem disse que fingiu estar desmaiado para deixar de apanhar. Enquanto isso, segundo ele, os policiais disseram aos agentes do Cobom (Centro de Operações do Corpo de Bombeiros São Paulo): "Socorram as vítimas primeiro e deixem esses vagabundos por último". O jovem afirma que o amigo com traumatismo foi socorrido só depois de as outras vítimas terem sido levadas aos hospitais. "Falei com a namorada dele [ontem] à noite e ele está respirando por aparelhos." Procurada, a Polícia Militar disse, em nota, que "a demanda será encaminhada ao comando da PM da área dos fatos, com pedido de rigorosa apuração". Acidente Um adolescente de 16 anos pegou o carro do pai escondido e bateu em três veículos na zona leste da capital paulista. Ele estava na companhia de um colega, também de 16 anos. Segundo a Polícia Militar, o garoto que dirigia um Audi A4, modelo 1995, avistou uma viatura da PM e fugiu em direção ao viaduto Alberto Mesquita de Camargo, na região da Mooca, onde se chocou com outros três automóveis. O pai disse à polícia que o filho pegou o carro sem o seu consentimento. O tenente Sandro Castro disse que há um ano o jovem passou três meses detido na Fundação Casa por roubo a residência. O adolescente que estava dirigindo teve traumatismo craniano e está internado na Santa Casa de Misericórdia, na região da Santa Cecília. Após sair do hospital, ele será apresentado à Vara da Infância e da Juventude. Ontem de manhã, mãe, tia, avó, namorada e o filho com apenas oito dias de vida aguardavam na Santa Casa por informações sobre o estado de saúde do jovem. A namorada passou mal e foi atendida no pronto-socorro da Santa Casa. "O que importa se ele já tinha pegado o carro outras vezes? O menino está entre a vida e a morte", disse a tia. O outro adolescente teve ferimentos leves nas mãos e foi liberado na manhã de ontem. Outras três vítimas, encaminhadas ao Hospital das Clínicas e ao Hospital Santa Catarina, foram liberadas. "Desmaiei na hora da batida e acordei sem conseguir mexer as pernas. Pensei que tivesse ficado paraplégica. Sinto tanta dor que estou tomando remédio por conta", diz Iara Eunice Machado, 30, que estava no carro que se chocou de frente com o Audi. Iara se diz preocupada com o amigo Alexandre dos Santos, que dirigia o carro e está com o rosto e o corpo cortados. "Ele está com medo de dormir e morrer, o HC não examinou a gente direito." "Vamos processar a família do menino. Se a gente tivesse morrido ia ficar impune porque ele é menor de idade?", pergunta Iara. De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), o viaduto ficou fechado das 22h30 de anteontem até as 10h50 de ontem para realização da perícia no local.  

continua após publicidade