Geral

País acusa regime sírio de ligação com atentados

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 10 de maio (Folhapress) - O ministro turco do Interior, Muamer Guler, acusou hoje organizações ligadas ao regime sírio de liderar os atentados que deixaram mais de 40 mortos na fronteira da Turquia com a Síria.

"As pessoas e organizações que realizaram os ataques foram identificadas. Determinou-se que são ligadas a organizações que apoiam o regime sírio e seu serviço de inteligência", afirmou Guler, citado pelo portal do TRT.

Segundo a agência de notícias Anatolia, dois veículos cheios de explosivos explodiram em frente à prefeitura e ao centro dos correios de Reyhanli, uma cidade de 60 mil habitantes da província de Hatay, situada a oito quilômetros da fronteira síria.

As explosões fizeram com que um edifício desabasse e causaram danos graves nas citadas sedes administrativas desta cidade situada no sul da província turca de Hatay.

"Vamos investigar tudo isso, vamos esclarecer tudo", declarou o ministro.

O atentado teve repercussão internacional e aumentou a tensão na fronteira. O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, condenou as ações, chamou de atos desprezíveis e "uma desconsideração total com a vida de civis".

O secretário-geral da Otan enviou suas condolências aos parentes das vítimas e expressou sua "plena solidariedade" com a população e as autoridades da Turquia, país que faz parte dos aliados.

Otan

O secretário-geral da Otan (a aliança militar do Ocidente), Anders Fogh Rasmussen, condenou os atentados deste sábado na província turca de Hatay, fronteiriça com a Síria, nos quais morreram pelo menos 40 pessoas e dezenas ficaram feridas.

Em comunicado, Rasmussen afirmou que estes "atos desprezíveis" mostram "uma desconsideração total com a vida de civis".

O secretário-geral da Otan enviou suas condolências aos parentes das vítimas e expressou sua "plena solidariedade" com a população e as autoridades da Turquia, país que faz parte dos aliados.
 

continua após publicidade