Geral

Justiça do Rio condena acusados de matar juiz em roubo

Da Redação ·
A juíza da 1ª Vara Criminal de Niterói (RJ), Rose Marie Pimentel Martins, condenou dois acusados de envolvimento no roubo que resultou na morte do desembargador aposentado Gilberto Fernandes, do Tribunal de Justiça do Rio. Jeferson Siqueira Barcelos, o Jefinho, foi condenado a 23 anos de prisão, e Rodrigo Moraes Pereira, o Bebelo, a 24 anos, pelo crime de latrocínio. O crime ocorreu na noite de 25 de outubro de 2012, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. O magistrado estava em seu carro, um Honda City, aguardando seus dois netos saírem da escola, no bairro de Icaraí, quando foi abordado pelos criminosos. Assustado, deu ré no veículo se forma brusca, e foi atingido por um tiro na cabeça. Para a juíza Rose Martins, a culpabilidade de Rodrigo Moraes Pereira, autor do disparo, foi mais intensa. " Foi ele que pessoalmente atirou na vítima, assumindo uma postura de liderança na grave empreitada criminosa praticada em local de grande movimento, gerando enorme perigo para transeuntes inocentes, sem se preocupar com a grande afronta que fatos dessa natureza representam para a sociedade", afirmou. Gilberto Fernandes foi o primeiro negro a ocupar o cargo de desembargador no TJ-RJ. Nascido em 30 de março de 1933, formou-se em 1962 pela Universidade do Estado da Guanabara, tendo sido nomeado juiz de direito em janeiro de 1974. Depois de atuar nas comarcas de Nilópolis, Niterói, Duque de Caxias, Petrópolis, Maricá e Saquarema, o então juiz Gilberto Fernandes foi promovido a desembargador em 1998. Integrou a 13ª Câmara Cível até 2003, ano em que se aposentou.
continua após publicidade