Geral

Obama dá exemplo e cobra líderes em questão nuclear

Da Redação ·
 Reunião em Washington junta 47 nações para discutir segurança de usinas e arsenais
fonte: Richard Clement /Reuters
Reunião em Washington junta 47 nações para discutir segurança de usinas e arsenais

Menos de uma semana após assinar um histórico acordo de redução de armas com a Rússia e de anunciar a revisão da política de utilização de seu arsenal atômico, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recebe nesta segunda-feira (12), em Washington, representantes de 47 nações para discutir medidas para aumentar a segurança nuclear mundial. O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, será um dos presentes.

continua após publicidade

O objetivo da cúpula, segundo a própria Casa Branca, é arrancar de todos os países compromissos concretos para garantir a segurança de todos os materiais nucleares em um prazo de quatro anos, de modo que se evite que caiam em mãos de grupos terroristas ou de regimes hostis.

continua após publicidade

Oficialmente, a cúpula não deve se concentrar em uma ou outra nação em especial, mas os programas nucleares da Coreia do Norte e do Irã ganharão destaque natural no debate. Nenhum dos dois países foi convidado para reunião em Washington, e Obama aproveitará a cúpula para tentar obter apoio a um conjunto de novas sanções contra o programa nuclear iraniano.

Entre os países que já apoiam os EUA no clamor por novas sanções da ONU ao Irã, estão Reino Unido, França, Alemanha e até a Rússia, historicamente reticente nesse assunto.