Geral

Oposição de centro-direita promete empregos e vence na Hungria

Da Redação ·

A coalizão de centro-direita Fidesz assegurou 206 dos 386 assentos no Parlamento nas eleições deste domingo na Hungria, derrotando os socialistas. Favorito nas pesquisas, o Fidesz, do carismático Viktor Orban, recebeu 52,77% dos votos.

continua após publicidade

Os resultados correspondem a 99,2% dos votos apurados. Os socialistas, com apenas 19,29%, já admitiram a derrota, após oito anos no poder.

continua após publicidade

O partido de extrema direita Jobbik ficou com 16,71% de votos, entrando pela primeira vez no Parlamento húngaro, e já como a terceira força política. A agremiação prometeu 20 anos de prisão para a classe política que governou o país nos últimos 20 anos e "obrigar os bancos a pagar impostos".

continua após publicidade

Os liberais verdes do LMP conseguiram 25 assentos. Os 121 lugares restantes serão determinados no segundo turno, em 25 de abril.

Emprego

continua após publicidade

Durante a campanha, Orban prometeu "voltar a pôr a economia húngara de pé", organizar o sistema de saúde e "garantir a segurança pública".

continua após publicidade

Para alcançar esses objetivos, o partido prometeu diminuir os impostos e criar "um milhão de novos empregos em dez anos", num país com 10 milhões de habitantes.

A Hungria foi salva da bancarrota em 2008 graças a 20 bilhões de euros emprestados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial (Bird) e a União Europeia (UE). A contrapartida foi a adoção de uma política fiscal rigorosa.

continua após publicidade

Aumento dos impostos, redução da ajuda do governo, cancelamento do décimo terceiro salário anual e cortes nas aposentadorias foram algumas medidas de uma política que os eleitores puniram, votando na direita e na ultradireita.

64% de participação

A divulgação dos resultados da eleição atrasou. O Comitê Eleitoral Nacional disse que algumas estações de voto foram deixadas abertas até depois do horário previsto para o encerramento porque ainda havia eleitores fazendo fila para votar.

O índice de participação foi de 64,29%, ligeiramente inferior ao primeiro turno das eleições de 2006 (67,83%).