Geral

País consegue bloquear invasão de hackers do grupo Anonymous

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 7 de abril (Folhapress) - A segurança de informática do Estado de Israel conseguiu bloquear um ataque cibernético lançado pelo hackers "ativistas" do grupo Anonymous em repúdio à situação humanitária na Faixa de Gaza. Yitzhak Ben Yisrael, porta-voz da oficina nacional de cibernética do governo de Tel Aviv, órgão ligado ao gabinete do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, assegurou que os hackers fracassaram em seu ataque porque "não puderam entrar nos sites-chave". "O Anonymous não tem capacidade para danificar a infraestrutura vital do país", ressaltou Ben Yisrael à agência de notícias Ynet, de Tel Aviv. Ele afirmou que a intenção do grupo de hackers foi "criar ruídos nos meios de comunicação" mais que concentrar na ameaça de "piratear" as páginas digitais dos órgãos estatais do país. O grupo de hackers anunciou no sábado um grande ataque para hoje contra sites israelenses, com o objetivo de "apagar Israel do ciberespaço" em solidariedade ao povo palestino. Os hackers compararam a situação dos palestinos em Gaza com o Holocausto cometido contras os judeus durante o regime nazista. O ataque afetou em particular as páginas do primeiro-ministro, dos ministérios da Defesa e da Educação, assim como o escritório central de estatísticas, mas todos esses sites funcionaram normalmente neste domingo. À tarde, o site do Ministério das Relações Exteriores ficou "paralisado durante algum tempo antes de voltar a operar normalmente", indicou em um comunicado o Ministério das Finanças, que não descartou "uma redução da velocidade da transmissão de dados ou cortes momentâneos de alguns sites oficiais". "O Anonymous não tem a capacidade, nem o objetivo, de destruir as estruturas essenciais do país. Se fosse esse o caso, ele não teria anunciado antes", disse em outra ocasião Ben Yisrael.  

continua após publicidade