Geral

Kim Jong-un aumentou a produção de armas

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 6 de abril (Folhapress) - O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, ordenou à indústria de armas do país que aumentasse a produção de artilharia "para garantir um rápido ataque preventivo", informou hoje a televisão estatal norte-coreana KCTV. A KCTV emitiu um documentário sobre uma reunião de trabalhadores da indústria de armas presidida por Kim em 17 de março, quando o líder pediu a eles que "garantissem a qualidade de nossa artilharia e projéteis para assegurar um rápido ataque preventivo contra nossos inimigos". O jovem líder, cuja idade é estimada entre 29 e 30 anos, expôs durante seu discurso, publicado pela agência sul-coreana Yonhap, que "uma vez que exploda a guerra", será preciso destruir as posições militares e as instituições governamentais primordiais dos inimigos "com um ataque rápido e repentino". Kim também assinalou que os inimigos da Coreia do Norte estão se preparando para a guerra, o que exige ainda mais a produção de uma artilharia de qualidade por parte de Pyongyang. No documentário, o líder aparece acompanhado por Pak To-chun, secretário da indústria militar do Partido dos Trabalhadores, principal órgão político do regime comunista norte-coreano e seu principal pilar junto ao poderoso Exército Popular. Em 26 de março, o Exército da Coreia do Norte assegurou ter colocado mísseis e unidades de artilharia "em posição de combate" com o ponto de mira nos EUA e na Coreia do Sul, como parte de uma campanha de atos hostis e ameaças de guerra que se prolongou até os últimos dias. O último capítulo da ofensiva retórica belicista norte-coreana aconteceu ontem, quando o regime recomendou a evacuação dos funcionários de todas as embaixadas de países estrangeiros credenciadas em Pyongyang sob o argumento de que não pode garantir sua segurança. Movimentos De acordo com fontes sul-coreanas, a Coreia do Norte carregou em plataformas de lançamento móveis dois mísseis de alcance intermediário e os escondeu em algum ponto no litoral leste do país, o que pode ser o indício de um iminente teste de mísseis de Pyongyang. "No início desta semana, a Coreia do Norte transferiu de trem dois mísseis Musudan e os colocou em plataformas de lançamento móveis" no litoral do Mar do Leste (Mar do Japão), indicou um alto oficial do Exército sul-coreano à agência local Yonhap. O movimento de Pyongyang, detalhou a fonte, é visto como uma tentativa de lançar mísseis de surpresa, uma vez que não está claro se os projéteis serão utilizados em um teste de disparo ou em manobras militares.  

continua após publicidade